A Secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, apresentou, na Sexta-feira, um conjunto de medidas integradas na ‘Nova Gerações de Política de Habitação’, que visam contribuir para ajudar cidadãos e autarquias a resolver os casos mais graves existentes ao nível da habitação.

Os apoios podem integrar a disponibilização de financiamento a fundo perdido e empréstimos bonificados e envolvem operações de reabilitação, arrendamento, construção ou aquisição de habitação.

Podem ser beneficiários directos cidadão particulares ou entidades públicas, como o Estado, os Municípios, as empresas públicas, misericórdias e instituições de solidariedade.

Todos os pedidos são feitos aos municípios que, em face deles e de outras situações que já estejam identificadas, elaboram um dossier e uma estratégia para a sua resolução. Depois, encaminham o processo para o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), que tem como missão analisar as candidaturas, aprová-las e apoiar no processo de implementação.

O objectivo destas e de outras medidas que vão ser conhecidas nos próximos tempos, garantiu a Secretária de Estado da Habitação, posteriormente, em entrevista ao «O Algarve Económico», é acabar com as situações indignas de habitação, num prazo de seis anos.

Esta apresentação decorreu integrada no programa oficial do I Salão Imobiliário do Algarve (SIA), que teve lugar  Centro de Congressos de Arade, entre Quinta-feira e Sábado, e que contou com a participação de cerca de quatro dezenas de profissionais e empresas do sector.

Textos relacionados:

Governo quer acabar com as situações de grave carência habitacional no prazo de seis anos

Governo cria fundo para recuperar imóveis degradados

Partilhar: