O Governo aprovou, em Conselho de Ministros, 12 projectos de resolução para a celebração de contratos de investimento no valor global de, aproximadamente, 160 milhões de euros.

As empresas abrangidas que estas medidas vão ter benefícios fiscais, sobretudo através de créditos de impostos, em sede de IRC mas, em alguns casos, também terão isenção de IMI, IMT e Imposto do Selo.

No comunicado final, o Executivo justifica a decisão por os projectos em causa revestirem-se de “especial interesse para o relançamento da economia nacional, permitindo a criação de 358 postos de trabalho até 2020 e a consolidação do investimento produtivo em Portugal, nomeadamente no que respeita à indústria transformadora.”

Os projectos de resolução integra seguintes grupos empresariais: OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal (actividade de revestimento integral de aeronaves); Tec Pellets – Produção e Comercialização de Pellets (aumento da capacidade produtiva da sua unidade industrial); Sakthi Portugal SP 21 (criação de uma nova unidade fabril para a produção de componentes de segurança crítica de ferro modular para automóveis); Painel 2000 – Sociedade Industrial de Painéis (realização de investimentos em duas linhas de produção de novos produtos); Paper Prime (criação de uma unidade industrial para o fabrico de lenços de papel); Fundifás – Fundição Injetada (aumento da eficiência produtiva e a redução dos custos de produção); DMM – Desenvolvimento, Maquinagem e Montagem (desenvolvimento da actividade de fabricação de componentes para automóveis); Epalfer – Serralharia de Moldes, Cunhos e Cortantes (construção de uma nova unidade industrial); Bohus Biotech Portugal (instalação de uma unidade produtiva de dispositivos médicos); Efapel – Empresa Fabril de Produtos Elétricos (realização de investimentos para a industrialização de soluções que irão permitir diferenciar a sua oferta) e Sociedade Schmidt Light Metal, Fundição Injectada (fabricação de novas peças para o sector automóvel).

Partilhar: