Sé de Silves acolhe concerto de Natal da Orquestra Clássica do Sul

Numa iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Silves, em parceria com a Orquestra Clássica do Sul (OCS), a Sé Catedral de Silves recebe no próximo dia 22 de dezembro, pelas 21h30, o “Concerto de Natal” da OCS.

Neste concerto, repleto de sons natalícios e dirigido sob a batuta do maestro convidado Luís Machado, serão interpretadas obras de C. Taylor, P. I. Tchaikovsky, F. Bruber, W.A. Mozart, J. Ireland, A. Adam, G. Bizet, F Mendelssohn, I. Berlin, R. Blane e L. Anderson.

A entrada tem um custo associado de 7,50€, estando sujeita à lotação do espaço, tendo em conta as orientações da DGS. Os bilhetes poderão ser adquiridos no local uma hora antes do espetáculo.

O telefone 282 440 800 e o endereço de correio eletrónico cultura@cm-silves.pt (Município de Silves) e o telefone 289 860 890 (OCS) são os contactos disponíveis para o fornecimento de informações adicionais sobre este evento.

Classificação etária: M/6

Duração: 60 minutos

PROGRAMA

C. TAYLOR – Abertura de Natal

P. I. TCHAIKOVSKY – Christmas Waltz

F. GRUBER – Silent Night

W.A. MOZART – Sleigh Ride

J. IRELAND – The Holy Boy

A. ADAM – Minuit, Chrétiens

G. BIZET – Carillon

ANÓNIMO – Adeste Fidelis

F. MENDELSSOHN – Hark! The Herald Angels Sing

I. BERLIN – White Christmas

R. BLANE – Have Yourself a Merry Little Christmas

L. ANDERSON – Sleigh Ride

Notas ao Programa
Samuel Coleridge-Taylor nasceu em Londres. Nos seus primeiros anos de vida, o seu pai, que era médico e incapaz de fazer sucesso na Grã-Bretanha, retornou à Serra Leoa. Aos cinco anos revelou ser talentoso ao violino e, em 1890, com o generoso apoio de um maestro de coro presbiteriano, entrou no Royal College of Music onde estudou com Charles Villiers Stanford. Morreu em Croydon com apenas 37 anos e um enorme potencial enquanto compositor. A obra “Abertura de Natal” foi editada postumamente em 1925.

“Christmas Waltz”. Vivaldi não foi o único compositor a escrever sobre as quarto estações – Tchaikovsky também tentou. As suas composições contêm uma pequena e deliciosa valsa de Natal, um pequeno chamamento encantador para esta época festiva.

“Noite Feliz” é uma canção de Natal popular, composta em 1818, na pequena cidade de Oberndorf bei Salzburg, Áustria. O jovem sacerdote Joseph Mohr já tinha escrito a letra da canção “Stille Nacht” em 1816. A melodia foi composta por Franz Xaver Gruber, professor e organista na aldeia vizinha de Arnsdorf. Antes da véspera de Natal, Mohr levou o texto a Gruber e pediu-lhe para compor uma melodia e acompanhamento para guitarra para o culto na igreja. Ambos apresentaram a canção durante a missa na noite de 24 de dezembro.

Uma das Danças Alemãs de W.A Mozart composta para os carnavais vienenses da década de 1790, “Sleight Side” é talvez a sua peça mais vividamente orquestrada. O arranjo adaptou a obra para orquestras modernas e é um quadro delicioso de uma encantadora cena de inverno.

“The Holy Boy” é uma breve composição do compositor inglês John Ireland. Ao lado da sua composição “My song is love unknown”, é provavelmente a sua obra mais conhecida. A versão original é do Natal de 1913, tendo sido publicada como The Holy Boy – A Carol em 1915.

“Minuit, Chrétiens” é um cântico de Natal escrito em 1843 pelo poeta francês Placide Cappeau e musicado, quatro anos depois, pelo compositor Adolphe Adam. Originalmente escrito para soprano, foi mais tarde adaptado para barítono ou tenor e é frequentemente interpretado na Missa do Galo (ou Missa de Natal), que tem lugar na meia-noite do dia 24 de dezembro.

“Carrillon” é a quarta e última peça da primeira das duas suites retiradas da música que Georges Bizet compôs para a peça teatral de Daudet, “L’Arlésienne”. Esta peça apresenta um padrão repetitivo das trompas, imitando o tocar dos sinos das igrejas.

“Adeste Fideles” é uma canção de Natal cuja autoria é atribuída a vários compositores, como John Francis Wade (1711-1786), John Reading (1645-1692) e o rei D. João IV de Portugal (1601-1656), crendo-se que a verdadeira autoria seja deste último.

A composição de “Hark! The Herald Angels Sing” envolveu Charles Wesley, autor das palavras deste conhecido hino, e pouco mais de um século depois, Felix Mendelssohn escreveu a cantata Festgesang, um hino de homenagem à invenção da imprensa moderna por Johannes Gutenberg. Em 1856, o músico britânico, William Cummings ligou o texto de Wesley, que nessa altura já tinha evoluído para a sua forma atual, à música do segundo número (“Vaterland, em deinen Gauen”) da cantata de Mendelssohn.

White Christmas é uma canção natalícia composta por Irving Berlin e gravada originalmente por Bing Crosby. As fontes variam sobre quando e onde Berlin compôs a canção. Uma versão afirma que a canção foi escrita em 1940 na cidade de La Quinta, Califórnia, sendo que outras fontes alegam que o local de sua origem é no hotel Arizona Biltmore. Segundo o próprio Berlin, White Christmas é a “melhor canção já escrita”.

Os compositores Hugh Martin e Ralph Blane escreveram a canção clássica “Have Yourself a Merry Little Christmas” para o filme de Judy Garland “Meet Me in St. Louis” em 1944, juntamente com dezenas de outras canções para musicais da Broadway.

“Sleight Ride” foi composta por Leroy Anderson para orquestra ligeira. O compositor tinha formado a ideia original durante uma onda de calor em Julho de 1946 e terminou a obra em Fevereiro de 1948.  As gravações originais eram versões instrumentais. A letra, que fala sobre como andar de trenó e outras atividades divertidas no Inverno, foi escrita por Mitchell Parish em 1950.

Câmara Municipal de Silves

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Artigos Relacionados

Ferrovia de alta velocidade entre Faro e Sevilha

Presidente da CCDR Algarve quer ferrovia de alta velocidade entre Faro e Sevilha

Trabalhadores das empresas de distribuição em greve na 6.ª-feira

Trabalhadores das empresas de distribuição em greve na 6.ª-feira

“Moda Tavira 2022” regressa para dinamizar o comércio local

Encontram-se abertas as candidaturas à porta 65 jovem – Arrendamento por Jovens