Os empresários devem olhar para aquilo que pagam por serviços de segurança no trabalho “não como um custo, mas como um investimento”.

A frase foi proferida pelo presidente da Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve (ACRAL), Álvaro Viegas, na inauguração do seminário «Trabalhar em Segurança» que se realizou esta Quarta-feira, em Portimão.

Esse investimento, referiu o dirigente associativo, permite proteger a integridade física dos trabalhadores, dar-lhes boas condições para exercerem as suas actividades e, dessa forma, aumentar a produtividade das empresas.

Embora os sectores do comércio e serviços, que a ACRAL representa, não sejam dos que mais contribuem para os acidentes de trabalho, uma vez que, genericamente, não são actividades de risco especialmente elevado, Álvaro Viegas entende que esta matéria “deve ser uma preocupação dos nossos empresários, de forma a contribuírem para que haja uma redução ainda maior que aquela que se tem sentido nos últimos anos”.

A ACRAL quer ter um papel ainda mais activo nesta área, pelo que se encontra a desenvolver um processo que há-de levar a que seja “prestadora de serviços externos na área da segurança no trabalho”.

O facto da associação conhecer muito bem o sector, entende Álvaro Viegas, é uma mais-valia que pretende agora aproveitar, também nesta vertente, em benefício dos seus associados, que, por serem, na sua esmagadora maioria, pequenas empresas sentem, por vezes, dificuldades financeiras e não só para cumprir a legislação de segurança no trabalho.

O seminário «Trabalhar em Segurança», que decorreu ao longo de, praticamente todo o dia no Museu de Portimão, foi promovido pelo Secretariado de Portimão, Lagoa, Silves e Monchique da ACRAL, Autoridade para as Condições do Trabalho e Bombeiros de Portimão.

Boa parte da manhã foi destinada à apresentação da Campanha Ibérica de Prevenção de Acidentes de Trabalho e, de tarde, falou-se, essencialmente, de prevenção de incêndios urbanos.

(Foto: Escola Profissional Gil Eanes)

Artigo relacionado: Campanha para baixar o número de acidentes de trabalho em 30% 

 

Partilhar: