Cerca de 60 concelhos de oito distritos em perigo máximo de incêndio

Cerca de 60 concelhos de oito distritos de Portugal continental apresentam hoje um perigo máximo de incêndio devido à previsão de tempo quente, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em perigo máximo de incêndio estão concelhos dos distritos de Faro, Portalegre, Castelo Branco, Santarém, Guarda, Viseu, Vila Real e Bragança.

O IPMA colocou também mais de 60 concelhos dos distritos de Braga, Coimbra, Leiria, Beja, Faro, Portalegre, Castelo Branco, Santarém, Guarda, Viseu, Vila Real e Bragança em perigo muito elevado de incêndio.

O perigo de incêndio vai manter-se elevado em algumas regiões do continente pelo menos até domingo devido à previsão de tempo quente.

O perigo de incêndio, determinado pelo IPMA, tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente tempo quente com períodos de céu muito nublado, subida da temperatura máxima no litoral, neblina ou nevoeiro matinal na faixa costeira a norte do Cabo Raso e poeiras em suspensão.

A previsão aponta também para aguaceiros, que localmente serão acompanhados de trovoada, granizo e rajadas de vento, em especial nas regiões Norte e Centro.

Está ainda previsto vento fraco a moderado do quadrante sul, soprando por vezes forte nas terras altas.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 15 graus celsius (em Viana do Castelo, Braga e Leiria) e os 23 (em Portalegre) e as máximas entre os 30 (em Aveiro) e os 39 (em Évora).

Lusa

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Artigos Relacionados

concurso de fotografia de Lagos

Recuperação de ecossistemas destacada em concurso de fotografia de Lagos

Catorze distritos em aviso amarelo

Catorze distritos em aviso amarelo por causa do calor

REDES_Apoios pecuaria

Apoio extraordinário aos criadores das espécies bovina, ovina, caprina e equídeos afetados pelos incêndios rurais