A Câmara Municipal de Tavira apurou, em 2016, um resultado líquido negativo de, praticamente, 5,2 milhões de euros.

Trata-se de um valor superior em mais 2,1 milhões de euros do que tinha sido registado em 2015, o que é justificado no documento de prestação de contas, recentemente aprovado, por ter sido feita uma provisão de mais de um milhão de euros para fazer face a processos judiciais e por regularização de amortização de imobilizado.

Estes resultados negativos surgem apesar de se ter verificado um aumento da receita cobrada, de perto de 1,4 milhões de euros, passando de um total de 25,1 milhões em 2015 para 26,5, no ano transacto.

Esta evolução positiva deu-se à conta do Imposto Municipal de Transmissão de Imóveis (IMT), que teve um acréscimo de quase 1,9 milhões de euros, tendo atingido um total de 6,3 milhões de euros, em 2016.

Também positiva, em termos financeiros, foi a evolução verificada numa das rubricas que tem mais peso nos custos de qualquer autarquia, as despesas com o pessoal. Ao longo do ano passado, as da Câmara de Tavira ascenderam a pouco mais de 8 milhões de euros, o que significa uma diminuição, em comparação com 2015, de 685 mil euros.

Outro elemento positivo revelado por este documento tem a ver com a diminuição da dívida da autarquia que, no último dia de 2016, era de, praticamente, 12,2 milhões, uma quebra de 1,1 milhões (-8,5%) relativamente a 2015.

Partilhar: