O Turismo do Algarve acaba de investir na aquisição de equipamentos de apoio para melhorar a experiência do visitante do Centro de Educação Ambiental de Marim (CEAM), onde a partir de ontem há novos painéis informativos, mais sinalética direcional e mobiliário urbano. A sede do Parque Natural da Ria Formosa está assim ainda mais convidativa para quem não dispensa boas caminhadas pela natureza.

Este investimento faz parte da aposta da entidade regional de turismo no produto de turismo de natureza e decorre do projeto Valuetur, que tem como principal objetivo a valorização de áreas protegidas de valor natural, histórico e cultural, para se tornarem geradoras de atividade económica sustentável.

As estruturas de acolhimento e visitação do centro interpretativo, cedidas ao abrigo de um protocolo hoje assinado pelo Turismo do Algarve e pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, através da Direção Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Algarve (DRCNF), pretendem guiar os visitantes durante o passeio pela área do parque natural e reforçar a atratividade do CEAM, de forma a melhorar a qualidade do serviço prestado e a aumentar o número de pessoas que anualmente procuram este sítio feito de zonas de mata, sapal, dunas, charcos e salinas.

Além dos equipamentos, há ainda um novo folheto para oferecer a quem passa pelo CEAM, também produzido pelo Turismo do Algarve em parceria com a DRCNF.

«O projeto contribui para a requalificação das estruturas de acolhimento do centro interpretativo, reforçando a sua atratividade e aumentando os seus 30 mil visitantes anuais. Não menos importante será o facto de a presença de sinalética adequada no território fomentar o ordenamento da visitação e, consequentemente, a conservação e proteção de habitats e espécies protegidas que constituem a motivação do turismo de natureza», afirma Joaquim Castelão Rodrigues, diretor regional da DRCNF, entidade sedeada no CEAM com responsabilidade na gestão das três áreas protegidas do Algarve.

Mas as ações no âmbito do Valuetur não ficam por aqui. Para promover o património natural da região junto dos residentes e visitantes nacionais e estrangeiros, o Turismo do Algarve está igualmente a preparar a edição de novas brochuras dedicadas ao Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, ao Parque Natural da Ria Formosa e à Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

As brochuras estarão disponíveis em quatro idiomas (português, inglês, castelhano e francês) e são um convite à descoberta e à preservação dos diversos ambientes, ao descreverem os ecossistemas, os habitats e as espécies de fauna e flora de cada parque. A par destes aspetos e de tantas outras curiosidades e imagens ilustrativas, haverá informação útil para orientar o visitante, como o horário e mapas com identificação de circuitos e pontos de interesse.

«O Valuetur é mais um exemplo de uma bem-sucedida colaboração transfronteiriça. Através do projeto conseguimos reforçar a nossa aposta no turismo de natureza, um produto cada vez mais valorizado pelo visitante nacional e estrangeiro e que há uns anos já correspondia a um mercado de 22 milhões de viagens anuais na Europa», refere o presidente do Turismo do Algarve, João Fernandes.

Para breve estão também previstas ações de capacitação interna das empresas algarvias sobre o potencial turístico e a necessidade de preservação do património natural do Algarve.

Sobre o Valuetur

O projeto Valuetur no qual a Região de Turismo do Algarve participa é liderado pela Diputación Provincial de Huelva e inclui a Consejería de Medio Ambiente y Ordenación del Territorio da Junta de Andalucía, a Fundación Andanatura, e a Mancomunidad Condado de Huelva. Sendo um projeto transfronteiriço, inclui duas áreas protegidas – Rio Tinto (Andaluzia) e a Ria Formosa (Algarve) – com a finalidade de recuperar e valorizar o património existente e desenvolver a oferta turística, envolvendo as empresas e empreendedores das respetivas regiões. Pretende-se que, através da dinamização da atividade turística e da promoção, seja possível aumentar o número de visitantes nestes espaços, melhorando o desenvolvimento socioeconómico da região. Aprovado ao abrigo do Programa de Cooperação INTERREG V-A ESPANHA-PORTUGAL 2014-2020 (POCTEP).

Turismo do Algarve

Partilhar: