Há vários princípios básicos e estratégias que aplicados da forma correcta permitem que qualquer empreendedor atingir os seus objectivos e o sucesso.

Na opinião de Pedro Santos Pereira, formador e consultor do Centro de Formação Profissional para o Comércio e Afins (CECOA), o aspecto determinante é “acreditar no que estamos a fazer”. Há que “ter foco, ser obsessivo, ter ânsia e desejo de atingir o objectivo”, defendeu, no decorrer da sessão do Dia Aberto ao Conhecimento, que decorreu em Faro.

Mas só isso não chega. É fundamental acção, trabalhar para conseguir o que se quer, tentando aprender com quem faz bem. Hoje em dia, não ter, à partida, as competências e a formação necessárias não é um drama, nem desculpa para não se conseguir aquilo que se quer.

Há muita informação disponível, em muitos casos, gratuita, e gente que tem essas competências, às quais é possível recorrer.

Tendo como base a sua própria experiência internacional em várias áreas de actividade, Pedro Santos Pereira chega à conclusão de que não é a falta de dinheiro ou de conhecimento que inviabiliza a concretização de qualquer boa ideia. O fundamental é cada um “fazer o seu melhor, o resto acontece”.

Falando no vertente relacionada com a internacionalização, Pedro Santos Pereira aconselhou quem esteja interessado em expandir os seus negócios para fora das fronteiras nacional a, previamente, colocar a si próprio várias perguntas e tentar obter as correspondentes respostas.

Há que saber quais as vantagens que terá em internacionalizar-se, perguntar se tem as capacidades necessárias e, caso a resposta seja negativa, encontrar forma de ultrapassar esse problema. Depois, há que definir para onde é que se vai internacionalizar o produto ou serviço, qual o mercado e o cliente alvo, pois “se quiser vender para todo o mundo, acaba por não conseguir nada”. Naturalmente que há, ainda, que saber qual a forma que vai usar para colocar os seus produtos nesses mercados, definindo se vai usar um agente, um parceiro externo, vender através da net ou de outra forma.

Com estas questões respondidas, há, de seguida, que olhar para dentro e tentar perceber de que estrutura interna  vai precisar, que competências deve a equipa ter e, sobretudo, há que fazer um plano de negócios, pois um dos problemas de muitos empreendedores é “não fazerem as contas” antes de avançarem com os seus projectos.

Dia Aberto ao Conhecimento foi organizado pelo IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, em parceria com a CCP – Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, a ACRAL – Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve e o CECOA – Centro de Formação Profissional para o Comércio e Afins.

Artigo relacionado: Portugal está na moda

Partilhar: