Os estabelecimentos hoteleiros e similares portugueses registaram 2,2 milhões de hóspedes e 6,7 milhões de dormidas em julho, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Este número corresponde a variações de -2,1% e de -2,8%, respetivamente, em comparação com o mês homólogo do ano passado.

Aquele organismo acrescenta que as dormidas de residentes cresceram 1,6% enquanto as de não residentes diminuíram 4,5%.

A estada média (3,09 noites) reduziu-se 0,6% (+2,6% no caso dos residentes e -1,8% nos não residentes).

Os estabelecimentos algarvios registaram, nesse mês, um total de dormidas de quase 2,7 milhões, o que significa uma diminuição homóloga de 3,2%. Nos primeiros 7 meses do ano foram contabilizadas 10,4 milhões de dormidas na região, uma quebra de 2,3%, superior à do país que, no mesmo período, foi de apenas 0,3%, para um total de quase 32,1 milhões de dormidas.

Mais animadores são os dados relativos à faturação, que registaram aumentos na região e no país. No total houve, em julho, receitas de 455,9 milhões de euros, o que equivale a um aumento de 6%, enquanto que as unidades algarvias faturaram 186,7 milhões, um crescimento homólogo de 3,2%.

Partilhar: