O Ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, esteve em Olhão a inteirar-se da conclusão das obras de urgência na EN 125 no troço entre Olhão e Vila Real de Santo António.

Quanto à reabilitação de fundo deste troço, o ministro deixou a garantia de que se trata de uma prioridade do atual governo, estando o seu avanço apenas dependente do resultado do recurso interposto junto do Tribunal de Contas, no que diz respeito à negociação da jurisdição desta via. “Temos uma estratégia no caso de vencermos o recurso, como esperamos, e temos uma estratégia caso isso não se verifique”, garantiu o ministro do Planeamento em Olhão.

O governante teve, ainda, oportunidade de anunciar diversos projetos para a mobilidade na região do Algarve, onde o governo prevê gastar 200 milhões de euros, nomeadamente a Variante de Olhão. O ministro diz que está a ser feito o estudo prévio que “nos permite receber, a seguir, a declaração de impacte ambiental. O estudo prévio deve ficar concluído entre agosto e setembro. Depois, em 2019, é fazer o projeto de execução e depois a obra”.

No que diz respeito à infraestrutura ferroviária, estão a decorrer intervenções na Estação de Olhão, com a remodelação das instalações sanitárias, e no apeadeiro de Fuseta A, onde, para além da colocação de suportes para bicicletas e reparação dos painéis de vedação danificados, foi substituída a cobertura do abrigo.

Quanto ao futuro da Linha do Algarve, Pedro Marques deixou a garantia de que é um desígnio do atual governo avançar com a sua eletrificação integral.

Quanto às portagens na Via do Infante, o ministro referiu que “para além das reduções até agora registadas nas portagens, que já pouparam mais de 15 milhões de euros aos algarvios, pretendemos baixar ainda mais o custo de circulação nesta via tão estruturante para a região”.

Partilhar: