Os estabelecimentos hoteleiros e similares do país registaram, em maio, 2 milhões de hóspedes e 5,4 milhões de dormidas, revela o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Esses números representam um aumento de 3,5% no que se refere à quantidade de hóspedes recebidos e de 1,1%  de dormidas, em comparação com o mês homólogo de 2017.

Responsável maior por esse aumento é o mercado nacional, que subiu 5,4%. Como já vem sendo habitual de há muitos meses a esta parte, o mercado britânico (22,7% do total das dormidas de não residentes) teve uma quebra assinalável (- 9,0%).

Em sentido contrário andou o mercado alemão (que representa 14,1% do total), que registou um acréscimo de 4,8%. O mercado francês (11,9% do total) cresceu 1,1% em maio e as dormidas de hóspedes residentes em Espanha (6,0% do total) registaram um acréscimo de 5,7% em maio.

Destaque, ainda, para os aumentos verificados nos mercados norte-americano (+18,3%) e brasileiro (+10,0%).

A estada média (2,67 noites) reduziu-se 2,4% (-1,5% no caso dos residentes e -2,0% nos não residentes).

O melhor de tudo foram os dados relativos aos proveitos totais, que aumentaram 9,1% , atingindo 344,7 milhões de euros.

No que diz respeito às unidades hoteleiras algarvias foram contabilizadas 1,8 milhões de dormidas em maio, o que representa uma diminuição muito ligeira (-0,1) em comparação com o mês homólogo de 2017. Apesar disso, os proveitos tiveram um crescimento relevante (+7,7%)

Nos primeiros cinco meses do ano, os alojamentos algarvios registaram 5,6 milhões de dormidas, uma quebra de -1,6% face a igual período do ano passado.

Partilhar: