“Fico chateado quando há restaurantes e hotéis que não têm vinhos do Algarve”. A frase, proferida esta Quinta-feira, 6 de Dezembro, pelo presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, reflecte muito do ambiente que rodeou o dia inaugural das II Jornadas de Enoturismo.

Boa parte dos participantes no evento mostram-se incomodados com a forma como os restaurantes e os hotéis tratam a produção regional. Muitos nem sequer têm uma amostra do que se faz no sector e outros possuem em stock algumas garrafas que só saem do fundo das prateleiras se os clientes pedirem especificamente vinhos do Algarve.

Mas as queixas não se prendem apenas com o facto de haver pouca ou nenhuma produção regional em boa parte dos restaurantes que, na óptica dos produtores, deviam ter gosto e empenho em mostrar o que de bom o Algarve tem. A questão do preço é outra das questões que os deixa à beira de um ataque de nervos.

Aníbal Neto, da Rota dos Vinhos do Algarve, lamenta que seja frequente constatar que vinhos que são comercializados em supermercados por 3 ou 4 euros, sejam, depois, vendidos em restaurantes por mais de 15 euros. Do mesmo se queixa Pedro Cabrita, proprietário de uma das explorações visitadas, a Herdade Monte dos Salicos, que diz serem “exageradíssimos” os valores que se pede a alguém que quer beber um vinho algarvio num restaurante.

De uma forma geral, os produtores e agentes do sector dizem serem os elos mais fracos do sector. São eles que arriscam e investem de forma a fazer com que o vinho algarvio esteja ao nível de qualquer outra região, em termos de qualidade, mas, referem, são os que menos beneficiam do retorno financeiro desse trabalho.

Promovidas pela Câmara Municipal de Lagoa, as II Jornadas de Enoturismo arrancaram pela manhã desta Quinta-feira, 6 de Dezembro, no auditório do Convento de S. José, com uma sessão na qual intervieram o vereador Luís Encarnação, o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, e o secretário-geral da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), José Arruda.

Depois, Andreia Ferreira apresentou o projecto Algarve Views e Manuel Serra falou sobre “O Turismo Gastronómico e o Enoturismo como Potenciadores do Desenvolvimento Regional”. Seguidamente, os participantes fizeram visitas técnicas à Herdade Monte dos Salicos e ao Convento do Paraíso.

O programa conclui-se esta Sexta-feira, com mais duas visitas a explorações vitivinícolas, a Quinta dos Vales e Quinta dos Arcos.

Partilhar: