A Câmara de Lagos avançou com o processo que vai levar à criação da Taxa Turística. Na sua sessão do executivo desta semana foi decidido de, para o efeito, constituir um grupo de trabalho e de avançar com o procedimento administrativo de elaboração do respetivo Regulamento Municipal.

No decorrer da reunião, a presidente da autarquia, Joaquina Matos, justificou a proposta com o facto de os municípios terem grandes despesas com os equipamentos e serviços relacionados com o turismo que, pelo menos, parcialmente deve ser suportada pelo setor, através desta taxa.

De acordo com um estudo levado a cabo pela AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, a autarquia lacobrigense é expectável que a autarquia lacobrigense arrecade, com esta taxa, uma verba anual de quase 1,5 milhões de euros.

Joaquina Matos admite que parte da receita possa vir a ser aplicada em projetos supramunicipais, pois “não obstante a inexistência formal de uma região administrativa, existe um espírito de colaboração entre os autarcas da região que permite encarar a possibilidade de implementação de projetos estruturantes que a todos beneficiem, quer para suprir a ausência de investimento por parte do governo central em algumas áreas, quer para tornar a região mais competitiva em termos turísticos”.

Uma vez aprovada e em vigor, os hóspedes das unidades hoteleiras do concelho passarão a pagar 1,5€ por dormida, nas primeiras sete noites de estada consecutivos e apenas durante os meses de março a outubro de cada ano, medida que não se aplicará a crianças e jovens até aos 12 anos.

 

Partilhar: