O Algarve registou 19 milhões de dormidas de turistas em 2017, um aumento de 5,3% em comparação com o ano anterior, de acordo com os resultados preliminares hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

A região concentrou 33,1% do total das dormidas no país, seguindo-se Lisboa com 24,9%. Isso significa que estes dois principais destinos turísticos respondem por mais de metade das dormidas (58%).

A nível nacional, o aumento foi geral, tendo, em termos percentuais, sido as regiões dos Açores (15,8%) e Centro (14,5%) a apresentar os maiores crescimentos anuais.

Face a 2016, houve um acréscimo de 3,9 milhões de dormidas, que beneficiaram essencialmente a Área Metropolitana de Lisboa (1,1 milhões de dormidas adicionais), o Algarve (mais 963,1 mil dormidas) e a zona Centro
(acréscimo de 716,8 mil dormidas).

Os estabelecimentos hoteleiros registaram um total de 20,6 milhões de hóspedes e 57,5 milhões de dormidas, a que corresponderam aumentos anuais de 8,9% e 7,4%, respectivamente (+9,2% e +9,6% em 2016). O mercado interno contribuiu com 15,9 milhões de dormidas (+4,1%) e os mercados externos com 41,6 milhões de dormidas (+8,6%). Os mercados externos representaram 72,4% das dormidas totais (71,5% em 2016).

Em 2017, os proveitos totais aumentaram 16,6% e os de aposento 18,3%, resultados que reflectem uma desaceleração dos proveitos totais e uma relativa estabilização dos de aposento face a 2016 (+17,3% e +18,2%, respectivamente).

Partilhar: