A ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários e a Universidade do Algarve firmaram dois protocolos com vista ao estreitamento de ligações e ao fomento de relações bilaterais de cooperação.

Através da assinatura de um dos documentos, as duas instituições assumem o compromisso de dinamizar acções relevantes para os empresários, estudantes e potenciais empreendedores algarvios nos domínios de empreendedorismo, incubação, ensino e formação, e na colaboração em projectos de investigação com intervenção às escalas nacional e global. Adelino Costa Matos, Presidente da ANJE, e Ana Sampaio Freitas, Vice-reitora da Universidade do Algarve, foram os signatários do protocolo que tem a validade inicial de três anos.

Para o Presidente da ANJE, Costa Matos, este é “um passo importante para consolidar e estreitar as relações de cooperação e intercâmbio existentes entre as duas instituições com vista à prossecução de objectivos conjuntos e à promoção da investigação científica, da formação e do desenvolvimento tecnológico nos ecossistemas académico e empresarial algarvios”.

O outro protocolo foi assinado entre a ANJE e a Faculdade de Economia da Universidade do Algarve e prevê a concentração de esforços no reforço de competências dos empresários e estudantes locais na área das soft skills. Rui Nunes, Director da Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, e Adelino Costa Matos assinaram o documento que é o ponto de partida para a concepção, promoção e realização conjunta de acções de formação e actualização de conhecimentos nos domínios de intervenção das duas instituições. A ligação estabelecida pressupõe ainda a facilitação e disponibilização de condições especiais no acesso aos serviços, iniciativas e programas desenvolvidos pelas duas entidades.

O Presidente da ANJE justifica a ligação à Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, considerando que “é fundamental potenciar recursos, gerar sinergias e estabelecer parcerias de cooperação que, tal como esta ligação com a Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, permitem melhorar a qualidade e a capacidade técnica dos serviços disponibilizados e contribuir para a melhor preparação de empresários e estudantes para os desafios técnicos, mas sobretudo sociais e relacionais que o mercado apresenta”.

Partilhar: