Em 2016, os residentes em Portugal realizaram 20,05 milhões de deslocações turísticas, o que implicou um aumento de 4,7% em comparação com o ano anterior.

De acordo com dados agora divulgados pelo Instituto Nacional de Estaísticas (INE), o principal motivo das viagens foi a visita a familiares ou amigos, que originou 8,81 milhões de viagens (43,9% do total), seguido de perto por “lazer, recreio ou férias”, com 8,78 milhões (43,8%).

O automóvel foi o meio privilegiado para a realização das deslocações, tendo estado presente em 16,5 milhões de viagens, ou seja, 82,3% do total (mais +6,1% do que em 2015). As viagens por avião (9% do total) totalizaram 1,8 milhões (-0,2% do que no ano anterior).   

Em 2016, a utilização de internet ocorreu em 15,8% das viagens, tal como em 2015. O recurso a agências de viagens (3,4% das viagens) continuou em declínio com utilização em 1,9% das viagens domésticas e 18,7% das destinadas ao estrangeiro (-11,3 p.p.).

Apesar de terem viajado mais, os portugueses não foram para muito longe, tendo as viagens de curta duração sido a esmagadora maioria, corresponderam a 70,2% do total de viagens e, na esmagadora maioria das vezes, pernoitaram não em alojamento de hotelaria tradicional (apenas 15,4% do total), mas em “alojamento particular privado” (71,3% do total).

Partilhar: