Portugal regista hoje mais 4.153 novos casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, o número diário mais alto desde fevereiro, e nove mortes atribuídas à covid-19, segundo os dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Hoje estão internadas menos oito pessoas, num total de 734, mas há mais 10 pessoas em unidades de cuidados intensivos, onde agora se encontram 171 doentes com covid-19.

No boletim epidemiológico de hoje, verifica-se que o número de novos casos não era tão alto desde 10 de fevereiro, quando se registaram 4.387 infeções.

A maior parte das infeções (46,4 por cento) registou-se na zona de Lisboa e Vale do Tejo, seguindo-se o Norte (31%).

Desde o início da pandemia, já foram diagnosticadas 916.559 pessoas com o SARS-CoV-2.

As nove mortes das últimas 24 horas registaram-se nas regiões de Lisboa (sete), e Centro (duas).

Segundo os dados da DGS, até agora, morreram em Portugal 17.182 pessoas vítimas de covid-19: 9.023 homens e 8.159 mulheres.

De acordo com a autoridade de saúde, Portugal tem agora 47.108 casos ativos (mais 1.909), tendo recuperado da infeção nas últimas 24 horas mais 2.235 pessoas, o que aumenta para 852.269 o número de recuperados desde o início da pandemia.

O número de contactos em vigilância está nos 77.682, mais 1.322 nas últimas 24 horas.

Com mais 1.928 contágios nas últimas 24 horas, a região de Lisboa e Vale do Tejo contabiliza agora 358.162 casos de infeção, seguida de perto pelo Norte, onde se registaram 1.305 novos casos, num total de 356.182 refere a DGS.

No Centro registaram-se 316 novos casos (125.267 no total), no Alentejo há mais 102 casos (31.980 no total), no Algarve 441 novas infeções (total de 28.205), na Madeira 19 novos casos (10.123) e nos Açores mais 42, para um total de 6.640.

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais óbitos (7.321), seguindo-se o Norte (5.377), o Centro (3.034), o Alentejo (976), o Algarve (370), a Madeira (70) e os Açores (34).

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação disponibilizada no boletim da DGS.

A taxa de incidência de infeções pelo SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes no continente subiu hoje para 346,5, mas o índice de transmissibilidade (Rt) voltou a baixar ligeiramente para 1,15 no continente.

No boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional da Saúde Doutor Ricardo Jorge, assinala-se que a taxa de incidência no continente subiu dos 325,2 em que estava na segunda-feira passada.

A nível nacional, este indicador subiu de 315,6 para 336,3.

Quanto ao Rt – que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa com o vírus – no continente, na segunda-feira estava em 1,16. A nível nacional, o Rt desceu de 1,16 para 1,14.

Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias – indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia – são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.

Nos concelhos de baixa densidade populacional, que representam mais de metade do território continental, a linha vermelha que obriga os municípios a recuar no plano de desconfinamento está fixada nos 480 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias e os restantes concelhos ficam sob alerta quando ultrapassarem os 240 casos por 100 mil habitantes no mesmo período.

Lusa

Partilhar: