Até ao passado dia 18 de Maio já estavam garantidos fundos comunitários de 122 milhões de euros para empresas e entidades públicas algarvias, no âmbito do CRESC Algarve 2020. Trata-se de um valor que perfaz cerca de 38% do máximo a que a região pode ter acesso, por esta via (319 milhões de euros).

A revelação foi feita pelo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região do Algarve, Francisco Serra, em intervenção proferida no decorrer do seminário «Next.Mov – Smart Region Summit», que, promovido pela AMAL, decorreu, ao longo de dois dias, no Autódromo Internacional do Algarve.

Em declarações posteriores a «O Algarve Económico», Francisco Serra referiu que esta percentagem “está dentro da média do país” e deverá subir muito rapidamente, pois, nesta altura, está a surgir uma nova vaga de avisos de abertura de concursos aos quais as empresas – que têm sido responsáveis pela maioria das candidaturas – podem concorrer.

Por áreas de actividade, uma parte substancial das candidaturas são feitas por empresas ligadas ligadas ao turismo e ao mar, mas também há muitas nas vertentes do agro-alimentar, energia e tecnologias. Também ao nível do artesanato há número razoável de candidaturas.

Nos dois primeiros casos, a prioridade vai para “actividades inovadoras”, sobretudo se trouxerem um contributo para a redução da sazonalidade. No sector agro-alimentar, uma parte importante dos projectos apresentados “tem muito a ver com a inovação na área dos produtos endógenos, tradicionais”. 

Às verbas que vão chegar ao Algarve através do CRESC, que é gerido pela CCDR, há ainda a acrescentar muitos outros milhões de programas de âmbito nacional e directamente relacionados com a agricultura e as pescas.

 

Textos relacionados:

A tecnologia conquista as empresas algarvias

Mais 32 postos de abastecimento de veículos eléctricos no Algarve

Um euro de taxa turística para acabar de vez com as portagens na Via do Infante

Colocar a tecnologia ao serviço das pessoas 

“O Algarve tem que viver cada vez menos da sazonalidade”

 

Partilhar: