Os secretários de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e do Ambiente, Carlos Martins, e o presidente da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo, marcaram presença na cerimónia de lançamento da primeira pedra da primeira fase do projecto de construção do Ombria Resort, localizado no concelho de Loulé, numa zona situada entre Tôr e Querença.

Trata-se de um empreendimento que vai incluir um campo de golfe de 18 buracos, o Viceroy at Ombria Resort, com 76 quartos e as Viceroy Residences at Ombria Resort, que incluem 65 residências turísticas. O complexo hoteleiro contará, também, com um clubhouse, um centro de conferências, 5 restaurantes, spa, kids club, um observatório astronómico, piscinas aquecidas e várias outras instalações de lazer e fitness. A sua abertura está prevista para final de 2019.

Esta primeira fase implica um investimento de mais de 100 milhões de euros e, no total, a construção de todo o empreendimento deverá custar 260 milhões de euros. O investidor é o Grupo Pontos, um fundo finlandês de private equity, que realizará este investimento com cerca de 60% em capitais próprios.

O seu chairman, Ilpo Kokkila, também presente na cerimónia, demonstrou satisfação pelo lançamento da obra, mas não escondeu que ele e a sua equipa ficaram “muito decepcionados com a lentidão da burocracia que enfrentámos durante o desenvolvimento do projecto. A cooperação com a Câmara Municipal de Loulé e as autoridades competentes tem sido excelente, mas a forma como a burocracia tem provocado o atraso deste processo é inacreditável. Esta morosidade prejudica gravemente o progresso no país.”

Por seu lado, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, referiu que “o investimento que hoje aqui vemos é sinal que há confiança, é sinal que acreditam no país, é sinal que acreditam no Algarve.” A governante destacou ser aquele “um projecto exemplar também pela sustentabilidade do turismo ao longo de todo o ano e em todo o território, porque estamos aqui a apostar num Algarve diferente, a desenvolver um novo tipo de Turismo numa zona onde não era tradicional isso acontecer”.

O Ombria Resort contará com três áreas diferentes de unidades residenciais e turísticas, incluindo apartamentos, moradias em banda e vivendas. Depois de concluído irá disponibilizar uma vasta oferta na componente hoteleira e de imobiliário turístico e residencial, desde quartos/suites de hotel, apartamentos, até moradias, praticando uma variada gama de preços adaptada a diferentes mercados e a diversos tipos de clientes.

O projecto imobiliário integra unidades residenciais turísticas de luxo, de diferentes tipologias, algumas delas geridas pela Viceroy Hotels & Resorts e nas quais é oferecido um retorno garantido de aluguer nos primeiros anos após a compra. Assim a componente imobiliária incluirá diferentes apartamentos, moradias em banda e vilas de luxo, de tipologias T0 até T6. Os valores de venda poderão variar entre os €300.000 e acima dos €2.500.000.

Os principais mercados-alvo são o norte da Europa, nomeadamente o Reino Unido, a França, a Alemanha, os países do Benelux e da Escandinávia, bem como Estados Unidos, Médio Oriente e Ásia, sem esquecer Portugal.

Partilhar: