A hotelaria algarvia registou um total de quase 1,9 milhões de dormidas, em Maio, de acordo com os dados hoje revelados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Trata-se de um acréscimo de 5,4% (+96,1 mil dormidas) em relação a Maio de 2016.

No acumulado do ano foram contabilizadas 5,7 milhões de dormidas nas unidades da região, que assim se assume como a principal do país, com uma quota de 29,5% do total de dormidas. A região que mais perto está da algarvia é a de Lisboa, com quase 5,3 milhões de dormidas.

Em comparação com os primeiros cinco meses do ano passado, o Algarve registou um acréscimo de quase meio milhão de dormidas (+9,5%).

A estada média de cada visitante no Algarve em Maio foi de 4,37 noites, um valor ligeiramente superior ao verificado no mês homólogo de 2016 (4,30) e bastante superior à média nacional, que é de 2,73.  Os proveitos totais, ao longo do mês, foram de 90 milhões de euros, um acréscimo de 19,2%.

No total do país, o INE refere que o mercado nacional contribuiu com 1,2 milhões de dormidas (valor que representa um crescimento de 7%), enquanto que os estrangeiros contribuíram com 4,2 milhões de dormidas.

Entre esses, o destaque maior continua a ir para o mercado Britânico, que garantiu 24,5% das dormidas de não residentes, seguido do Alemão (13,5%) e do Francês (11,6%). Também relevante é a quota de visitantes que vieram de Espanha (6,3%) e dos Países Baixos (6,1%).

Partilhar: