Um dos grandes desafios que a sociedade tem pela frente, referiu a presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, é colocar a tecnologia ao serviço das pessoas e contribuir para a coesão social. A tecnologia, defendeu a autarca, no decorrer do seminário «next.mov – smart region summit», “não pode ser um fim em si mesmo”, é apenas útil na medida em que acrescenta valor ao trabalho e às pessoas e contribui para uma maior coesão social.

O mesmo mote foi dado pelo seu colega de Tavira e presidente da AMAL, Jorge Botelho, que colocou a tónica na necessidade dos autarcas usarem todas as ferramentas que têm à sua disposição para criar postos de trabalho, pois “sem emprego não há sustentabilidade”.

Para já, existem boas notícias, a este nível, uma vez que os dados mais recentes indicam que o emprego tem vindo a aumentar na região à boleia do crescimento do principal sector de actividade, o turismo.

E trata-se de um crescimento aparentemente sustentável, uma vez que, referiu o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, “grande parte da procura acontece fora do Verão”.

O mesmo indicador foi exibido pela secretária de Estado do Turismo, Ana Godinho, que referiu que “cerca de 70% do crescimento do turismo ocorreu fora da época alta”. É uma situação que, naturalmente, faz com que se consiga manter muito mais emprego ao longo do ano.

Texto relacionado: “O Algarve tem que viver cada vez menos da sazonalidade”

Partilhar: