Conseguir mais investimento, de forma fomentar a dinamização económica do concelho é uma das tarefas essenciais que o reeleito presidente da Câmara de Loulé assumiu na sessão de tomada de posse dos eleitos locais, que decorreu no passada Segunda-feira, no Cine Teatro Louletano. Vítor Aleixo quer que, a este nível, as atenções se virem para “as áreas novas da economia criativa, com o turismo à cabeça”.

Mas para ter o sucesso que deseja, o autarca entende que “é preciso levar a cabo medidas medidas tendo em vista a simplificação administrativa” e aliviar a carga fiscal.

A este nível, referiu que o Município voltará a discriminar positivamente todos aqueles que queiram fixar-se no interior, levando até ao limite as isenções possibilitadas pela lei. É que são exactamente as zonas do interior que, na sua opinião, mais precisam de atrair investimento para conseguirem reduzir as assimetrias que, nesta altura, ostentam em relação às zonas do litoral.

Neste sentido, um dos projectos defendidos por Vítor Aleixo é a criação de uma central de biomassa que permita valorizar os produtos florestais.

Depois de um mandato “marcado pelo reequilíbrio financeiro e pelo apoio social às famílias do Concelho afectadas pela crise”, Vítor Aleixo garantiu que o próximo quadriénio será de “mais ambição, energia e criatividade” aos mais diversos níveis.

Para levar a cabo esta estratégia, Vítor Aleixo não se pode queixar de falta de condições políticas, uma vez que conta com maioria absoluta na Câmara e na Assembleia Municipal. No executivo camarário vai ter a seu lado 6 elementos do PS, enquanto que a oposição apenas conseguiu eleger 2 elementos, ambos da coligação “Todos pelo Nosso Concelho”.

Na Assembleia Municipal, o PS conta com 18 representantes, a coligação “Todos pelo Nosso Concelho” com 8 e  o Bloco de Esquerda com 1. Também têm assento neste órgão os presidentes das Freguesias, sendo 7 deles do PS e 2 da coligação “Todos pelo Nosso Concelho”.

Partilhar: