O presidente da ACRAL, Álvaro Viegas, considera que “as baixas comerciais têm de ser atrativas para os visitantes”. Em entrevista, na última edição do jornal «O Olhanense», Álvaro Viegas afirma que “o Algarve tem um envelope financeiro de 5 milhões de euros [Programa de Incentivo à Modernização do Comércio] para reabilitação urbana, mas se ficarmos por aí é insuficiente e não serve os interesses do comércio”.

Em relação à Rua do Comércio, em Olhão, que neste momento tem 12 lojas fechadas, o responsável da ACRAL afirma que têm sido feitos esforços para recuperar o “estado paupérrimo do comércio”. “Para isso é importante contarmos com os proprietários das lojas, pois muitos deles preferem manter as lojas fechadas a arrendá-las por um valor mais baixo”, explica. Nesse sentido, a ACRAL sugeriu à autarquia de Olhão que, nestes casos, “triplique ou quadruplique o valor do IMI” e assegura “os proprietários têm de sentir no bolso o peso da sua decisão”.

Pode ver a entrevista completa, aqui.

Partilhar: