ACRAL cria plataforma de negócios para vender produtos algarvios online

 

 

A ACRAL – Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve apresentou hoje, na sede da CCDR-Algarve, o projeto «Algarve Store e Business Online», que tem como objectivo a valorização económica dos produtos endógenos na região algarvia, através da criação de uma plataforma de negócios e venda online «We Shop Algarve».

A plataforma deverá estar concluída até final de 2017, estando previsto o início do seu funcionamento em 2018. Destina-se a todas as empresas, com sede no Algarve, que se dediquem à produção, transformação e comercialização de produtos típicos algarvios. Com um objectivo de 160 empresas e produtores aderentes à plataforma, o presidente da ACRAL não exclui a possibilidade de este número ser aumentado. “Pretende-se que a plataforma seja um elemento de referência da região a nível internacional”, refere Álvaro Viegas.

Assente na economia digital, num modelo de negócio B2B e B2C, o projeto inovador pretende reforçar a notoriedade internacional da marca Algarve, criando sinergias para um a promoção conjunta dos produtos endógenos da região, através de uma estratégia que estimule a procura e o alargamento dos mercados nacional e internacional.

“Com esta forma de comunicar e apresentar o Algarve, estou confiante que chegaremos lá fora”, referiu Teresa Correia, vereadora da Câmara de Faro, que disponibilizou todo apoio da autarquia para este projeto.

Numa primeira fase, o projeto estabelece como mercados prioritários a Espanha, Alemanha, Inglaterra e França. “Pretende-se que as pessoas que nos visitam e têm um primeiro contacto com os nossos produtos, possam repetir a compra, estando nos seus países de origem”, explicou Armindo Silva, da empresa responsável pela execução da plataforma, NKA – New Knowledge Advice.

Ao contrário das estratégias de comunicação e divulgação habitualmente utilizadas, para a implementação da plataforma «We Shop Algarve» a abordagem do mercado passará pela realização de visitas à região do Algarve de importadores para conhecimento dos produtores e dos produtos regionais. “Os importadores serão escolhidos de acordo com o que podem potenciar para a região”, afirma Armindo Silva.

Para além dos produtos endógenos, esta plataforma de e-commerce promete ser também uma montra do que de melhor existe na região: hotéis, restaurantes, locais históricos e atividades turísticas, entre outras.

Com um investimento de 698.519 euros, este projeto tem um incentivo não reembolsável de 488.963 euros por parte do programa CRESC Algarve 2020, no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Internacionalização e dá continuidade ao trabalho desenvolvido no SIAC, projeto «Algarve Positivo». Para assegurar a viabilidade da plataforma, por cada transacção realizada, a ACRAL recebe um «fee».

Para aderir, basta aceder a www.acral.pt  e submeter a ficha de adesão, que será posteriormente aprovada pela associação.

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Artigos Relacionados

concurso de fotografia de Lagos

Recuperação de ecossistemas destacada em concurso de fotografia de Lagos

Catorze distritos em aviso amarelo

Catorze distritos em aviso amarelo por causa do calor

REDES_Apoios pecuaria

Apoio extraordinário aos criadores das espécies bovina, ovina, caprina e equídeos afetados pelos incêndios rurais