O valor do pescado transacionado nas lotas e postos de Portugal Continental, sob gestão da Docapesca, ascendeu a 205,1 milhões de euros em 2018, o que representa um crescimento de 4,9% em comparação com os 195,5 milhões do ano transato. O pescado transacionado atingiu assim o valor mais elevado desde 2008.

Em comunicado, a Docapesca adianta que também a quantidade de pescado transacionada aumentou, passando de 95,8 mil toneladas em 2017 para 99,7 mil toneladas em 2018, correspondendo a um crescimento de 4%.

Verificou-se ainda um aumento do preço médio por quilo, de 2,04 euros em 2017 para 2,06 euros em 2018, atingindo o valor mais elevado desde que existem registos estatísticos sistematizados.

A lota de Peniche foi responsável por um valor de vendas de 34 M€, seguindo-se Matosinhos (26,8 M€), Sesimbra (24,8 M€), Aveiro (16,9 M€) e Vila Real de Santo António (13 M€).

As cinco principais lotas em quantidade de pescado transacionado foram as de Sesimbra (21.278 toneladas), Matosinhos (19.473), Peniche (11.892), Aveiro (8.778) e Sines (5.256).

As espécies mais relevantes em valor de vendas foram o polvo (35,5 M€, +7,1% de aumento no preço médio por quilo), a sardinha (23,8 M€, +25,8%) e o carapau (14,7 M€, +23,2%).

 

Partilhar: