Vai nascer a “Plataforma Algarve Agricultura”. O anúncio foi feito  pelo presidente da NERA – Associação Empresarial da Região do Algarve, no final da conferência «Sector Agrícola no Algarve», que decorreu em Loulé, na Sexta-feira, 22 de Junho.

Trata-se, explicou, de uma forma de continuar o trabalho que foi levado a cabo, ao longo de cerca de 10 horas, naquela reunião e que envolveu cerca de centena e meia de pessoas. À Plataforma competirá, agora, desenvolver uma série de iniciativas e acções, tendo como objectivo último a apresentação de propostas concretas sectoriais que contribuam para dar um novo impulso à agricultura algarvia.

Esta conferência contou com as intervenções de especialistas, empresários, professores universitários e dirigentes associativos, que fizeram um ponto de situação nas áreas, entre outras, da fruticultura, da horticultura, do vinho, da caça e do pomar.

Algumas dos problemas mais focados foram a dificuldade em contratar pessoal, a escassez de terrenos a preços minimamente acessíveis e a questão da água.

Intervindo no encerramento dos trabalhos, o secretário de Estado das Florestas e do Ordenamento Rural, Miguel Freitas, referiu que este tipo de questões não deverá ter evolução positiva nos próximos tempos. Para minimizarem e ultrapassarem tais questões, os agricultores devem, com a ajuda de entidades públicas e associações do sector, estudar as oportunidades que existem, organizarem-se e, sobretudo, usarem a inovação e a tecnologia.

Miguel Freitas aproveitou a oportunidade para anunciar a instalação no Algarve de um Centro de Competências de Luta contra a Desertificação, que terá a missão de analisar os problemas e oportunidades do mundo rural e dar pistas e ideias para que os recursos sejam usados da melhor forma.

O governante também deixou a garantia que os próximos fundos do Programa de Desenvolvimento Regional (PDR) 2020 serão regionalizados, ou seja, haverá a garantia de uma determinada verba será aplicada, por exemplo, no Algarve e “em medidas adequadas às necessidades da região”.

Partilhar: