O algarvio Mário Centeno vai ser o próximo presidente do Eurogrupo. O ministro das Finanças português – natural de Olhão – foi eleito na Segunda-feira e tomará posse do cargo a 13 de Janeiro do próximo ano.

A eleição de Centeno foi conseguida à 2ª volta, uma vez que na primeira não conseguiu obter os 10 votos necessários para o efeito. No entanto, a sua eleição já era dada por adquirida ainda antes do início da reunião, tendo o actual titular do cargo, Jeoron Dijsselbloem, tido um deslize em que assegurava que o seu substituto seria Mário Centeno.

O ministro português diz que a sua missão principal vai ser a criação de consensos e que em Portugal nada vai mudar após a sua tomada de posse, indo o Governo manter o rumo financeiro que tem seguido até aqui.

O Eurogrupo é um colégio informal dos ministros das Finanças dos 19 países que integram a zona euro, em que se discutem e coordenam as políticas comuns a esses países, nas vertentes económica e financeira.

Nascido a 9 de Dezembro de 1966 em Olhão, Mário Centeno viveu boa parte da sua infância e adolescência em Vila Real de Sto. António.  É doutorado em Economia pela Harvard University e Mestre em Matemática Aplicada pelo ISEG. Foi economista e consultor do Banco de Portugal e professor catedrático na Universidade de Lisboa.

Chamado por António Costa, em 2015, para assumir a pasta das Finanças, contra todas as expectativas, conseguiu fazer e manter um acordo com o PCP e Bloco de Esquerda e melhorar os principais indicadores económicos do país. Isso levou à queda dos juros nos mercados internacionais e à admiração de personalidades de peso na política internacional, como o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, que, em Maio, o apelidou de «Ronaldo das Finanças», o que já indiciava que o país com maior peso da União Europeia estaria a pensar em Centeno para próximo presidente do Eurogrupo.

Partilhar: