O turismo de natureza é uma boa forma do Algarve e do país esbaterem o fenómeno da sazonalidade. A ideia foi defendida pela secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, na quinta-feira, em Sagres, na cerimónia de inauguração do 9ª edição do Festival de Observação de Aves & Atividades de Natureza.

A governante defendeu que, nos últimos anos, tem sido possível “dar grande visibilidade a territórios e produtos” que, normalmente, eram pouco procurados. Esse é um percurso que deve ser prosseguido, competindo aos organismos públicos dar o exemplo e “arriscar, sem medo nem preconceitos, em projetos diferentes”, que tragam mais-valias para os territórios e o turismo.

No mesmo sentido foi a intervenção do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, que assumiu não dever o Algarve viver apenas do turismo de sol e praia, e que é importante apostar em nichos que complementem essa oferta e que, com o tempo, e com a fidelização dos turistas, podem até ganhar escala e serem grandes fatores de criação de riqueza.

José Mendes referiu ser importante valorizar os muitos “ativos únicos e irrepetíveis” que temos, de forma a proporcionar aos turistas experiências que não encontram em mais lado nenhum.

O presidente da Câmara de Vila do Bispo, Adelino Soares, destacou a visibilidade internacional que este festival tem vindo a ganhar ao longo dos anos, lembrando que a edição do ano passado contou com a participação de pessoas vindas de “42 países diferentes”.

Trata-se de um evento que ‘casa’ bem com a estratégia de desenvolvimento que tem para o concelho,  que procura ligar, de forma harmoniosa. ao turismo à natureza. Isto porque, garante o autarca, “queremos ser um dos destinos mais sustentáveis da Europa e do Mundo”.

9ª edição do Festival de Observação de Aves & Atividades de Natureza arrancou na quinta-feira e termina este domingo. Ao longo destes dias, visitantes e residente locais tiveram oportunidade de participar em cerca de duas centenas de atividades, metade das quais de forma gratuita.

Saídas para observar aves, tanto em terra como no mar, caminhadas, sessões sobre geologia e flora, devolução de aves à natureza e observação de cetáceos foram algumas das muitas atividades que estiveram disponíveis.

Este festival contou mais uma vez com a Câmara Municipal de Vila do Bispo como entidade organizadora e com o envolvimento da Associação Almargem e da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA). Esta edição conta novamente com o patrocínio do Intermarché Sagres.

 

Partilhar: