As unidades de alojamento algarvias registaram, em junho, um total de 2,4 milhões de dormidas, o que equivale a um aumento de 2,1% em comparação com o mês homólogo de 2018, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Trata-se de um crescimento inferior à média do país, que foi de 5,6%. De acordo com o INE, na globalidade, o setor de alojamento turístico nacional registou, naquele mês, 2,7 milhões de hóspedes, um crescimento de 9,7%. Os proveitos apresentaram um crescimento de 11,8%, totalizando 466 milhões de euros.

Em junho, o mercado interno contribuiu com 2,1 milhões de dormidas, o que se traduziu num aumento de 11,6%. As dormidas dos mercados externos (peso de 70% em junho) cresceram 3,2% e totalizaram 5 milhões.

O mercado britânico (21,9% do total das dormidas de não residentes em junho) recuou 1,3% em junho, após sete meses consecutivos a crescer. Também o mercado alemão (que representa 12% do total de dormidas de não residentes) diminuiu 3,7% em junho e 6,8% desde o início do ano. Outro mercado importante é o francês, que também apresentou uma redução, no caso, de 5,6% em junho.

Em sentido contrário andou o mercado espanhol (8,1% do total), que cresceu 9,3% em junho e 8,6% no primeiro semestre. O mercado norte americano foi o quinto principal em junho (peso de 6,3% do total das dormidas de não residentes) tendo registado um aumento expressivo de 25,1% neste mês.

O INE adianta que, no primeiro semestre do ano, o setor turístico registou um aumento de 4,7% nas dormidas, com contributos positivos quer dos residentes (+8,9%), quer dos não residentes (+3,0%). No que ao Algarve diz respeito, ao longo deste período, o aumento foi de foi de 3,3%.

Partilhar: