A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação aumentou pelo sexto mês consecutivo, passando dos 1,073% em abril para os 1,080% em maio, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Aquele organismo adianta que o valor médio da prestação vencida manteve-se nos 246 euros. Deste valor, 47 euros (19%) correspondem a pagamento de juros e 199 euros (81%) a capital amortizado. Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação desceu 5 euros, para 331 euros.

No mês analisado, “o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos subiu 94 euros face ao mês anterior, fixando-se nos 52.780 euros.” Para os contratos celebrados nos últimos 3 meses, “o montante médio do capital em dívida fixou-se em 100.518 euros, menos 373 euros do que em abril.”

Partilhar: