“Algarve, um destino turístico de excelência todo o ano” foi o tema de uma iniciativa de dinamização e promoção turística que a Câmara de Lagos organizou, pela sétima vez consecutiva, e que este ano alcançou o maior número de participantes, cerca de sete dezenas.

A acção, que contou na sessão de abertura com a presidente da Câmara Municipal de Lagos, Maria Joaquina Matos, e o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, foi centrada na apresentação de Lagos e do Algarve enquanto destinos turísticos de excelência todo o ano numa óptica de sustentabilidade e da apresentação de produtos alternativos e complementares ao “Sol & Praia”.

Através desta iniciativa, que decorreu no Auditório do Edifício dos Paços do Concelho Séc. XXI, na passada Sexta-feira, 26 de Janeiro, pretendeu-se, igualmente, fomentar o convívio e a troca de conhecimentos e experiências entre profissionais da área do Turismo integrou um painel de oradores que apresentaram e promoveram actividades que completam a tradicional oferta turística do município.

A presidente da Câmara, Joaquina Matos, referiu que é importante que os agentes do sector se conheçam e cada vez mais trabalhem numa lógica de complementaridade, que a todos beneficie. Esta filosofia deve, na sua opinião, ultrapassar as fronteiras do município, uma vez que “não estamos sozinhos, fazemos parte de uma região e devemos sempre trabalhar em conjunto porque, dessa forma, será sempre mais fácil a nossa afirmação de grande destino de férias”.

O presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, afirmou que “a abordagem feita nesta acção de dinamização encaixa perfeitamente na estratégia que a RTA tem estado a desenvolver, principalmente nos últimos 4 anos, uma vez que tendo nós a percepção de que a oferta turística do Algarve está consolidada no que diz respeito ao binómio sol & praia, temos de trabalhar outras vertentes”.

Este responsável referiu não ter dúvidas que “o Algarve não pode ser sustentável apenas 4 meses por ano”, e, nesse sentido, sublinhou que a RTA tem tido prioridades “no sentido de estudar, desenvolver e consolidar vertentes que sejam complementares e alternativas a essa realidade. E no concelho de Lagos, elas existem e já estão a ser trabalhadas”.

Referindo que a realidade do turismo no Algarve alcançou, em 2017, “números que seriam impensáveis há 4 anos”, o responsável, no Algarve, pela entidade máxima na área do turismo, relembrou que “a região algarvia representa quase 40% do turismo nacional. Tivemos números surpreendentes no que diz respeito às dormidas, aos turistas e uma subida muito significativa da taxa de ocupação entre os meses de Outubro e Maio, e aqui percebe-se que estamos a caminhar no bom sentido e estamos a conseguir esbater o peso da sazonalidade na região”.

Para Desidério Silva, o grande objectivo e desafio nestes próximos anos é “termos uma oferta mais qualificada e mais diversificada, para alcançarmos um Algarve sustentável todo o ano”, acrescentando a esse propósito que, nesse sentido, “temos trabalhado bastante em produtos complementares e alternativos como o turismo de natureza, cycling & walking, associando sempre a estas actividades a identidade cultural de cada concelho e da própria região”.

Esta sessão teve quatro painéis ligados à temática em questão, nomeadamente: “Turismo e Sustentabilidade: Moda ou Necessidade?” (apresentado pelo Professor Doutor João Albino Silva – Universidade Algarve); “Turismo de Natureza – Oportunidades e Desafios” I “Algarve Nature Week (apresentados por Duarte Padinha e Cláudia Ruivinho – Região de Turismo do Algarve); “Ponta da Piedade – 20 milhões de anos de histórias” (pelo Prof. Luís Azevedo Rodrigues, do Centro Ciência Viva de Lagos) e “Ponta da Piedade – Apresentação do Projecto de Requalificação e Valorização de um Património Único (Arquitecto Paisagista Hipólito Bettencourt).

A iniciativa terminou, da parte da tarde, com uma Visita Técnica e Guiada pelos Trilhos na Ponta da Piedade.

Partilhar: