O vinho BS (Borges da Silva) esteve em destaque no programa de rádio «Choque Frontal ao Vivo», da Rádio Alvor, levado ao palco do Teatro Municipal de Portimão (TEMPO) na Quinta-feira, 30 de Novembro.

Trata-se de um programa que tem como base um espectáculo musical, mas que também se propõe divulgar outras formas de arte, como a pintura, através dos trabalhos de João Sena. Igualmente a doçaria – já há um bolo chamado «Choque Frontal» – e os vinhos têm lugar reservado, neste caso, numa iniciativa que conta com o apoio da Rota dos Vinhos.

No caso do BS, trata-se, explicou Aníbal Neto, de um produto feito naquela que é, provavelmente, a mais pequena exploração algarvia, a qual conta com “menos de um hectare de vinha, na zona de Lagos”. Talvez por isso, a exploração não era rentável, daí que o seu proprietário, Borges da Silva, em determinada altura, tenha querido desistir, apesar do vinho ter conquistado alguns prémios.

Aníbal Neto convenceu-o a não fazer isso e a deixá-lo tomar conta da exploração. Aos vinhos tintos juntou os brancos e rosés e, para já, “o processo está a correr bem com os vinhos a terem grande aceitação”.

No entanto, esta actividade está longe de ser um mar de rosas. Em boa medida porque, diz Aníbal Neto, os vinhos algarvios não são uma aposta dos restaurantes e os que os apresentam nas suas cartas, de uma forma geral, colocam-nos a preços que acabam por não ser apelativos aos potenciais consumidores. Vinhos que, “normalmente vemos nas prateleiras dos supermercados a 3 euros, nos restaurantes estão a 15, 16 ou 20 euros”.

Um dos problemas da região, explica o produtor e coordenador da Rota dos Vinhos, é não ter vinhos da gama mais baixa, em termos de preço, provavelmente por as explorações serem de pequena dimensão e não terem escala para fazer vinhos de 1,5 ou 2 euros.

Apesar destes desafios, o sector está em crescimento e as mais recentes expectativas são que a região “vá ultrapassar 1,1 milhões de garrafas, algo que já não acontecia há muitos anos”. Uma circunstância que, em boa medida, fica a dever-se ao aparecimento de novos produtores, alguns deles vindos de outras regiões, que descobriram que “o Algarve tem condições excepcionais para a produção de vinho”.

Em termos musicais, o programa apresentado por Júlio Ferreira e Ricardo Coelho teve como convidada a banda «União das Tribos» que apresentou, em versão acústica, alguns dos temas que compõem o seu mais recente trabalho discográfico. Intitulado «Amanhã», contou com a participação de grandes nomes da música nacional, como Tim, António Manuel Ribeiro, Anjos, Mafalda Arnauth, Miguel Ângelo e Carlão. Realizado poucas horas depois de se ter sabido do falecimento de Zé Pedro, o espectáculo abriu com uma homenagem ao guitarrista dos «Xutos & Pontapés».

Partilhar: