Ser Capital do Vinho ao longo de 2016 custou à Câmara de Lagoa 328.120 euros. O valor é apresentado pela autarquia no Relatório de Contas do ano passado, que foi aprovado pela Assembleia Municipal em sessão realizada na passada Quarta-feira, 12 de Abril.

Apesar de se tratar de uma verba de alguma relevância, ainda assim,é um valor substancialmente inferior ao que a autarquia tinha orçamentado para aquele projecto: 580.620 euros.

No documento, é feito um balanço “bastante positivo” desta aposta, que permitiu “promover a marca Lagoa, tanto em Portugal, como no estrangeiro, enquanto território produtor de vinhos de qualidade”. Para ostentar este título, Lagoa teve de concorrer com um projecto que acabou por bater os apresentados pelos municípios de Silves, Ourém, Ponte de Lima e Santa Marta de Penaguião.

A edilidade considera que esta foi “uma distinção de nível nacional, deveras prestigiante”, que fez com que o concelho assumisse “a liderança regional na promoção do sector vitivinícola”, processo que culminou com o convite para integrar o conselho de administração da Rede Europeia das Cidades do Vinho.

Enquanto Capital do Vinho, Lagoa promoveu, ao longo de 2016, cerca de “uma centena de eventos” relacionados com esta actividade, alguns dos quais levados a cabo no decorrer da Fatacil e outros no Centro de Congressos do Arade, entre eles, o Lagoa Wine Show e a Gala de Encerramento.

Na sequência desta estratégia de ligar cada vez mais o nome do concelho à arte de fazer bom vinho, a autarquia acabou por registar a marca “Lagoa Capital dos Vinhos do Algarve”, uma decisão que acabou por resultar numa polémica.

Isto porque a opção não foi bem aceite pela Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA), que acabou por cessar todo o tipo de colaboração que tinha com a autarquia.

A primeira consequência foi a passagem e Lagoa para Albufeira do Concurso de Vinhos do Algarve, decisão contestada pela Câmara de Lagoa, que entende não ter a CVA qualquer legitimidade para se apropriar de um concurso que foi desde sempre promovido pelo município lagoense, primeiro em parceria com a Direcção Regional de Agricultura e só bem mais tarde com a colaboração da Comissão.

Partilhar: