O Grande Prémio de Fórmula 1 de Motonáutica que, este Domingo, se realiza no estuário do rio Arade deverá ter 37 transmissões em directo, a que se juntam mais 22 em diferido e mais de 900 reportagens televisivas, um pouco por todo o mundo.

Trata-se de uma projecção internacional de grande dimensão que, referiu a presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, na apresentação da prova, justifica plenamente o investimento que é feito. No total, para garantir a realização do grande prémio, são necessários cerca de 490 mil euros, dos quais 150 mil ficam por conta da autarquia que dirige e 340 mil saem dos cofres do Turismo de Portugal. 

Depois de uma ausência de alguns anos, Portimão viu regressar os barcos mais rápidos do mundo ao seu estuário, no ano passado. A iniciativa partiu da organização e, a passar então por graves constrangimentos financeiros, a Câmara nada teve de pagar.

Este ano, já não há borla para ninguém, mas o custo suportado é, nesta altura, de acordo com a presidente da autarquia, perfeitamente comportável e vai manter-se nos próximos anos. No entanto, na próxima época já não irá contar com os 340 mil euros do Turismo de Portugal, pelo que, assim que se conclua esta edição, a autarca garante ir começar a tarefa de garantir financiadores para que o grande prémio se mantenha em Portimão.

Esta Sexta-feira, as equipas já se encontram instaladas na zona ribeirinha da cidade a preparar os bólides que, autenticamente, voam sobre a água, para os testes e treinos que deverão desenvolver-se ao longo do fim-de-semana. O culminar de todo o trabalho será a prova a sério que vai ter lugar pelas 13h30 do próximo Domingo.

Em busca da vitória vão estar 18 pilotos, de 11 nacionalidades diferentes, em representação de 9 equipas. O actual tri-campeão do mundo Philippe Chiappe é um dos principais favoritos à vitória final, mas esta é uma modalidade muito competitiva, com uma diferença mínima de qualidade entre os diferentes pilotos, pelo que muitos outros podem aspirar cortar a linha de meta na frente.

Portugal está representado por Duarte Benavente, que também espreita a sua oportunidade. No ano passado terminou o campeonato em 9º lugar, uma posição que está determinado a melhorar, este ano, pelo que precisa de um bom resultado no grande prémio de Portimão, que é a primeira prova do Campeonato do Mundo deste ano.

Partilhar: