A Polícia Judiciária (PJ) desenvolveu uma operação, no decorrer da qual apreendeu, na madrugada de Sábado, 400 quilos de cocaína, que estavam a ser transportados, por via marítima, para Portugal.

Pelas contas da coordenadora de investigação criminal da PJ, Rosa Mota, e tendo em conta o elevado grau de pureza da droga em causa, se tivesse sido comercializada teria rendido, seguramente “20 milhões de euros.” Foram ainda detidos, e ficaram em prisão preventiva, os dois tripulantes da embarcação, de nacionalidades montenegrina e italiana, um dos quais já tinha antecedentes de tráfico de droga.

Falando aos jornalistas, em Portimão, em conferência de imprensa para revelar os resultados desta operação, aquela responsável revelou que a rede de tráfico a que pertencia a droga tem ligações à América Latina e às Caraíbas, de onde vinha este carregamento, mas também contará com elementos em Portugal e noutros países da Europa.

No âmbito desta operação, foi pedida a colaboração da Força Aérea que, ao longo de cerca de uma semana, seguiu a embarcação em causa, revelou o seu porta-voz, tenente-coronel Bernardo da Costa.

Um papel importante teve, também, a Marinha, que disponibilizou os meios para se proceder à abordagem, a qual ocorreu ao largo dos Açores. Segundo o porta-voz da Marinha, Pedro Coelho Dias, os dois tripulantes do barco que transportava a cocaína “não estavam armados” e não ofereceram resistência.

A PJ vai continuar as suas investigações, de forma a tentar deter outros elementos ligados à rede e contribuir para a sua desarticulação. Esta operação contou, também, com o envolvimento de forças de investigação inglesas e italianas.

Partilhar: