A aquisição de casa própria continua muito enraizada em Portugal e é a escolha preferencial de 89,7% dos consumidores entre os 30 e os 50 anos de idade, e de mais de 85% dos jovens, entre os 18 e os 29 anos, deixando a enorme distância a opção do arrendamento.

Esta é uma das conclusões do I Observatório da Mercado da Habitação, um estudo realizado pela rede imobiliária Century 21 Portugal, que retrata o perfil do mercado imobiliário nacional.

Entre as razões apontadas para a preferência por casa própria, 58% dos inquiridos consideram ser um investimento para o futuro e 38% salienta que essa é a maneira de criar um lar.

O argumento do investimento é a razão mais importante em todas as idades e em todas as zonas, exceto no Algarve, onde o motivo mais apontado é poder criar um lar.

De acordo com aquele documento, a idade e a fase da vida em que os consumidores se encontram são factores que também determinam as suas escolhas. Por exemplo, “entre as pessoas com mais de 50 anos, a ideia de deixar património para os filhos ganha importância quando pensam na aquisição de casa. Um segundo conjunto de argumentos a favor da habitação própria assinala também um componente puramente económico, ao considerar que arrendar é um desperdício de dinheiro (27%) ou que arrendar é tão caro como comprar (21%)”.

Partilhar: