O Algarve Económico acompanhou a par e passo a iniciativa de pitching & networking NET ME UP, que decorreu no passado dia 2 em Albufeira e que promoveu o contacto entre empreendedores e potenciais parceiros, investidores e clientes.

Uma das entidades organizadoras foi a empresa Territórios Criativos, que gere várias incubadoras de empresas, entre as quais a Startup Portimão. Uma das suas responsáveis é Teresa Preta, que nos explicou quais os objetivos que se pretendeu atingir através deste evento.

O Algarve Económico (AE) – Como é que surgiu a ideia de avançarem com esta iniciativa?

Teresa Preta (TP) – Esta iniciativa é promovida pelos Territórios Criativos, pelo Turismo de Portugal e pela Algarexperience. Como os Territórios Criativos estão ligados a vários projetos de empreendedorismo, consideramos que o networking é essencial para uma startup ou para um empreendedor que está a dar os primeiros passos, tendo nesse sentido vindo a desenvolver várias ações, sendo esta uma delas.

AE – Por aquilo que se pode ver, a adesão foi grande…

TP – Sim, o barco [onde teve lugar a primeira fase da iniciativa] tem capacidade para 100 pessoas e conseguimos lotação esgotada. Apesar da iniciativa ser prioritariamente dirigida a empreendedores e empresários do Algarve e Alentejo, acabámos por ter gente de todo o país, desde Marco de Canaveses até à região algarvia.

AE – Nos últimos anos tem-se ouvido falar muito muito em empreendedorismo e startups. É uma moda, um chavão ou é um movimento que realmente existe, que já tem uma boa expressão no universo empresarial e que está para durar?

TP – O empreendedorismo é uma forma de estar na vida. Consideramos que tem um impacto brutal nos territórios, não só em Lisboa, que é a capital nacional do empreendedorismo, mas também no Algarve. Temos a Startup Portimão, uma série de parceiros e uma rede de empreendedorismo a criar-se na região, portanto acreditamos que é algo que já tem um impacto importante no Algarve e que vai ter ainda mais.

AE – No aniversário da Startup Portimão foi dito que o espaço já se encontra todo preenchido e que estão a tentar conseguir mais, de forma a que seja possível receber outros projetos e empresas. Há desenvolvimentos recentes, a esse nível?

TP – A infraestrutura está lá, o que temos de fazer é adaptá-la a mais postos de trabalho. Isso está a ser tratado e em breve teremos capacidade para acolher mais empreendedores.

AE – A empresa Territórios Criativos é responsável por várias outra incubadoras de empresas no país, para além da de Portimão. Quais são?

TP – Estamos na Ericeira Business Factory, na Mafra Business Factory, na Alvaiázere + e fizemos o arranque da incubadora Loures Inova.

AE – Que projetos têm para o futuro?

TP – A nossa ideia é estar nos territórios durante algum tempo, capacitar os técnicos locais e irmos abrir incubadoras novas noutros sítios e dinamizar novas regiões. O nosso desafio é conseguir que em territórios ou em locais onde não se imaginava implantar uma incubadora, conseguirmos dinamizar algo ligado ao empreendedorismo.

Texto relacionado: Empreendedores fizeram-se ao mar para ‘pescar’ 4 mil euros

(A seguir fique a conhecer alguns dos projetos empreendedores que marcaram presença nesta iniciativa)

Partilhar: