A Ação de Dinamização e Promoção Cultural e Turística “Preparar o amanhã” decorreu no auditório dos Paços do Concelho Séc. XXI e discutiram-se assuntos como o futuro e os desafios do Turismo no Algarve, a importância do marketing digital dos destinos turísticos, a multicentenária Arte Xávega e os trabalhos desenvolvidos e em curso no Museu de Lagos. Foram, ainda, apresentados os principais eventos a decorrer no município de Lagos em 2020, com destaque para a expansão de alguns deles.

A sessão de abertura ficou a cargo de Hugo Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Lagos, de Fátima Catarina, Vice-Presidente da Região de Turismo do Algarve e de Adriana Nogueira, Diretora Regional de Cultura. Foi abordado o crescimento turístico na região, no ano de 2019, mesmo com os desafios trazidos por acontecimentos como o Brexit, a falência de operadores turísticos e alterações climáticas.

Evidenciou-se a importância da realização de pequenos eventos culturais na região que contribuem bastante no combate à sazonalidade. E foi ainda, discutido o tema atual do coronavírus e das eventuais adversidades que pode trazer para a região.

Duarte Padinha, Diretor do Departamento Operacional da Região de Turismo do Algarve apresentou uma perspetiva global e abrangente do Plano de Marketing Estratégico do Turismo do Algarve (PMETA 2.0) para 2020 – 2023, já em fase final de preparação.

Para frisar o crescente papel do marketing digital e dos blogues de viagem, Catarina Leonardo, Vice-Presidente da Associação de Bloggers de Viagem Portugueses e autora do blogue Wandering Life, partilhou a sua história e experiência pessoal até se tornar blogger de viagens profissional. A blogger mencionou “o impacto e o poder dos influenciadores, assim como a sua proximidade com os seus seguidores (…) como de extrema importância no alcance do público e posterior decisão sobre o seu destino de viagem”.

Numa segunda parte da sessão, mais centrada no município de Lagos, o Técnico Superior de História da Câmara Municipal de Lagos, Francisco Castelo, apresentou a pesca multicentenária Arte Xávega na Meia Praia. Uma prática que necessita de ser preservada devido à sua riqueza histórica e patrimonial, pelo que a Câmara Municipal de Lagos elaborou uma proposta para que esta arte seja considerada como Património Cultural.

A Técnica Superior de Arqueologia da Câmara Municipal de Lagos, Elena Moran, divulgou os trabalhos em curso e aqueles já terminados no Museu de Lagos Dr. José Formosinho, que está em obras de reabilitação. Têm sido desenvolvidos trabalhos de conservação e restauro de peças que virão a enriquecer o Museu, que tem reabertura prevista para o último trimestre de 2020.

Por fim, José Viegas, Coordenador da Unidade Técnica de Comunicação, Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Lagos, anunciou os eventos âncora agendados para 2020. Destacando-se, a expansão da Feira Concurso Arte Doce para cinco dias, de 22 a 26 de julho, e da Festa do Banho 29 para dois dias, de 28 a 29 de agosto.

Partilhar: