Empreitada vai implicar investimento de 1.418.327,01 euros, e tem prazo de execução de 540 dias. Financiamento garantido através de empréstimo com visto do Tribunal de Contas, que prevê ainda obras do Centro de Recolha Oficial animal, 1ª fase da futura Terceira Circular e requalificações da Mata do Liceu e Alameda João de Deus

A Câmara Municipal de Faro informa que aprovou, no passado dia 8 de setembro, a adjudicação da construção do Centro Cultural e de Inovação da Bordeira. A empreitada vai implicar um investimento da autarquia de 1.418.327,01 euros, mais IVA à taxa legal, e tem um prazo de execução de 540 dias.

A construção desta infraestrutura, adjudicada ao concorrente Martins Gago & Filhos, Lda, prevê a implementação de um edifício de âmbito cultural e recreativo – que inclui um Museu da Pedra e Museu do Acordeão – com o intuito de promover e divulgar a identidade do povoado, através de manifestações artísticas no âmbito da música, teatro e trabalhos de cantaria.

No espaço exterior, haverá um espaço destinado a bar, uma esplanada adjacente, e na zona imediatamente posterior ao edifício, circundado pela rampa de acesso à cave, uma área também destinada a exposição de peças de cantaria de maior porte.

Recorde-se que o financiamento da presente empreitada se encontra garantido através do empréstimo a médio e longo prazo no montante de 4.801.000 euros, aprovado pelo Tribunal de Contas com visto de 30 de outubro de 2019, a pagar, em condições favoráveis, num prazo de 12 anos.

Além do Centro Cultural e de Inovação da Bordeira, este financiamento destinou-se precisamente a concretizar um conjunto de intervenções cruciais para o desenvolvimento do território do concelho e para a melhoria da qualidade de vida de todos os farenses e de quem nos visita, nomeadamente o Centro de Recolha Oficial de animais (intervenção também já adjudicada), a primeira fase da futura 3ª Circular, desde a Avenida 25 de Abril à Estrada da Penha, a requalificação da Mata do Liceu e ainda a requalificação da centenária Alameda João de Deus.

A consignação dos trabalhos para construção do Centro Cultural e de Inovação da Bordeira fica agora apenas condicionada à obtenção do visto do Tribunal de Contas, tendo em conta que os contratos com valor superior a 950.000 euros ficam sujeitos à fiscalização prévia daquele órgão.

 

 

Câmara Municipal de Faro

Partilhar: