A rede imobiliária Century 21 Portugal procedeu a um levantamento sobre as necessidades de habitação, em cada etapa da vida, e uma análise da relação das pessoas com o tipo de habitação dos seus sonhos versus a habitação que realmente compram ou arrendam, para identificar o desfasamento que existe entre a oferta e a procura de habitação. Deste levantamento surgiu o I Observatório da Habitação em Portugal.

Uma das conclusões deste estudo aponta as motivações que levam os portugueses a mudar de casa. No topo das razões estão as questões familiares, a que se segue a vontade de ter uma casa melhor ou com uma área maior. Mas há outros factores que impulsionam a procura de casa, como o trabalho ou a idade.

De acordo com este documento, a procura de casa – para comprar ou para arrendar – está muito associada a alterações na estrutura familiar, razão apontada por 50,1% dos consumidores inquiridos no âmbito deste estudo. Em primeiro lugar, com 18,9 pp, surgem as razões associadas ao início de uma vida em comum, como casamento ou união de facto, enquanto 13,7 % aponta como razão para a aquisição de casa o desejo de ter uma vida independente da família. Já 12% afirma que precisa de uma casa maior para aumentar o agregado familiar e 3,8% assinala motivos de separação ou divórcio. Apenas 1,7% indica a diminuição do agregado familiar como motivo da procura de outra habitação.

A vontade de ter uma casa melhor, ou com uma área maior, impulsiona 15,1% dos inquiridos a mudar de habitação e passar do arrendamento para uma habitação própria motiva 13,6%. O trabalho é a razão apontada para a mudança de casa por cerca de 7,2% dos inquiridos, porque pretendem estar mais perto do local de emprego, ou por questões de mobilidade profissional.

As motivações para a procura de casa estão também muito ligadas à idade. Nos mais jovens, com idades entre os 18 e os 40 de idade, o fator que mais impulsiona a procura de habitação é o início de uma vida a dois. Já na faixa etária dos 30 aos 39 anos, 18,9% dos inquiridos apontam como segunda razão para a mudança de habitação o desejo de passar do arrendamento para casa própria e 18,3% alegam a necessidade de uma casa maior para aumentar a família.

À medida que a idade avança – acima dos 40 anos de idade – a razão mais comum para procurar habitação prende-se com o desejo de mudar para uma zona ou para uma habitação melhor. Já a partir dos 50 anos, surge a necessidade de passar para uma casa menor, porque a família diminui. Por zona geográfica, destaca-se o Algarve, onde a razão mais frequente para comprar ou arrendar habitação é a necessidade de uma casa um pouco maior, associada ao aumento da família (16,5%).

Já do lado da oferta, entre as principais razões para vender ou arrendar a habitação, 15,8% dos inquiridos indicam que pretendem mudar-se para uma zona ou casa melhor, enquanto 11,1% alegam motivos de mobilidade profissional. Para além disso, as alterações da vida familiar – como o casamento, aumento ou redução da família, início de vida a dois, ou divórcio – assumem um peso de 31,5% na decisão de arrendar ou colocar à venda a habitação.

Partilhar: