A Câmara de Monchique aprovou, na sua última reunião do executivo, o regulamento do Concurso “Monchique Criativo e Empreendedor”.

Trata-se, diz o presidente da autarquia, Rui André, da 2ª edição de “um concurso que decidimos fazer para estimular o aparecimento de novas ideias de negócio associadas aos nossos produtos.” A primeira experiência foi “muito positiva, pois apareceram ideias muito criativas e originais, tendo acabado por vencer projecto associado ao turismo rural.”

Na altura, refere Rui André, “praticamente, não tínhamos não tínhamos no concelho unidades legalizadas e actualmente temos 79 ligadas ao turismo rural, alojamento local e agroturismo.”

O objectivo essencial desta iniciativa, frisa o autarca, é que “sirva para estimular as pessoas a olharem para o território do ponto de vista de gerar negócios e empregos. O que queremos é que se acabe com aquela ideia de que quem trabalha na agricultura é um desgraçado, um escravo do trabalho.”

Para que isso aconteça é necessário que haja inovação, novas ideias e, naturalmente, também novas pessoas a investir no sector e a juntar tecnologia à tradição. Uma tendência que tem vindo a verificar-se nos últimos anos, naquele concelho e no Algarve, de uma forma geral, com o surgimento de muitos projectos de jovens agricultores, o que “significa que a agricultura e o meio rural estão a voltar a ser atractivos, o que é importante para o repovoamento do interior e a criação de postos de trabalho.”

Partilhar: