A taxa de ocupação global média/quarto das unidades de restauração foi, em Novembro, de 45,3%, indicam os dados provisórios revelados hoje pela Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

Pelas contas daquela entidade, isso representa uma diminuição de 1,8 pontos percentuais (pp) em comparação com o período homólogo de 2016. No entanto, em termos acumulados, nos últimos 12 meses, a taxa de ocupação quarto regista uma subida de 1,8%.

O mercado que mais contribuiu para a descida verificada em Novembro foi o britânico (-4,1 pp), situação que a AHETA atribui à desvalorização da Libra, no seguimento do Brexit. No acumulado do ano, a descida deste mercado já vai nos 8,2%.

Os mercados alemão (+0,9 pp), irlandês (+0,6 pp) e holandês (+0,4 pp) foram os que mais contrariaram a descida verificada.

Por zonas geográficas as maiores descidas ocorreram em Monte Gordo / VRSA (-12,1pp) e Vilamoura / Quarteira / Quinta do Lago (-11,2 pp). Albufeira, a principal zona turística do Algarve, registou uma descida de 3 pp. Em sentido contrário andaram as zonas de Tavira (+5,8 pp) e em Faro / Olhão (+4,3 pp).

Durante este mês, o volume de vendas subiu 8,9 por cento durante o mês.

Partilhar: