A Ambiolhão assinou esta quarta feira, 31 de outubro, o contrato da empreitada que visa uma intervenção relevante na rede de coletores domésticos associados ao sistema de interceção de águas residuais do concelho de Olhão – Sistema Nascente.

A obra, adjudicada à empresa MAJA Construções, S.A., tem um valor de 2.235.453,01 euros, financiado pelo Programa Portugal 2020 – POSEUR.

O projeto visa a ampliação da rede de drenagem de águas residuais em diversas áreas do concelho, nas freguesias de Quelfes e União de Freguesias de Moncarapacho-Fuseta, mais concretamente nas zonas situadas ao longo na EN 398, Sítio da Igreja e faixas a sul e a norte da EN 125 entre Olhão e Fuseta.

A execução da obra permitirá aumentar a população servida por sistema de drenagem e tratamento, sendo as redes a construir interligadas aos intercetores do sistema em alta.

Grande parte da rede de coletores a construir fica localizada em zonas sensíveis de aquíferos e do Parque Natural, pelo que “esta obra se reveste de grande importância em termos ambientais, pois irá promover a desativação de um número elevado de sistemas individuais tipo fossa sética”, conforme referiu o presidente da autarquia olhanense, António Miguel Pina.

No Sistema de Quelfes, serão construídos 26 novos coletores gravíticos, 1 conduta elevatória e 1 estação elevatória.

O Sistema de Bias ficará dotado de 48 novos coletores gravíticos, 2 condutas elevatórias e 2 estações elevatórias, enquanto que no Sistema de Moncarapacho será construído 1 coletor gravítico.

A população abrangida por esta obra é de cerca de 3.550 habitantes: 1.200 no Sistema de Quelfes, 2.300 no Sistema de Bias e 50 no Sistema de Moncarapacho.

Partilhar: