O incêndio que deflagrou em Monchique na sexta-feira passada já terá consumido uma área superior a 20 mil hectares.

Apesar dos muitos meios que têm estado no terreno (mais de 1.400 operacionais apoiados por quase meio milhar de viaturas e mais de uma dezena de meios aéreos), o raio de ação das chamas tem vindo a alastrar, numa ‘cavalgada’ dramática que parece não ter fim.

Hoje de manhã, a nova responsável operacional de combate ao incêndio, Patrícia Gaspar, garantia que, ao longo da noite, tinham sido feitos progressos, mas ao final do dia, o panorama é bem diferente.

O forte vento que se tem feito sentir empurrou as chamas para as portas de Silves e Messines, tendo algumas povoações situadas nessas zonas sido evacuadas. Uma outra frente problemática é a que se desenvolve na zona da Fóia de Monchique.

Hoje foi o dia em que pela primeira vez o 1º ministro falou sobre o incêndio. António Costa veio preparar os portugueses para a possibilidade de ainda serem necessários vários dias antes de se conseguir extinguir o incêndio.

Partilhar: