A Associação In Loco lança uma campanha de financiamento colaborativo com o propósito de recolher apoio para executar o projeto 100% Local.

Sabe quantos quilómetros fez a sua última refeição? Contabiliza-se que em média um alimento percorre 2.400 quilómetros até chegar ao seu prato, o que implica um elevado impacto ambiental, social e económico. Perante um panorama mundial marcado por um aumento da densidade populacional e da produção industrial de alimentos, vêem-se hoje transformados os padrões atuais de consumo e, consequentemente, redefinidas as formas de produção alimentar. Hoje pratica-se maioritariamente uma agricultura de exportação, apostando nas monoculturas intensivas, altamente consumidora de recursos naturais e energéticos, prejudicial para os ecossistemas e, por fim, com impacto negativo na agricultura familiar e nas economias locais.

Esses são alguns dos motivos que mantêm acesa a discussão sobre uma maior autonomia alimentar e a urgência de recuperar as dinâmicas de produção e consumo sustentáveis a uma escala local, temas que continuam em destaque na agenda da Associação In Loco. Na continuidade dessa linha de intervenção surge também o projeto 100% Local, atualmente a decorrer, com o objetivo de facilitar o acesso informado e de confiança dos consumidores a produtos alimentares locais, sazonais e de qualidade da região do Algarve. Pretende também distinguir e identificar os produtores locais, criando estruturas que possibilitem a sua aproximação aos consumidores.

O projeto conta com um grande apoio financeiro do No Planet B by AMI, do Instituto Camões e da União Europeia, faltando angariar ainda 10% do valor que permitirá assegurar na íntegra a sua execução, fator que motivou o lançamento da campanha. A verba arrecadada apoiará na organização de mercados de produtores MD5.03/1

nos concelhos da região, na prossecução de uma campanha de sensibilização que incide na importância de privilegiar os circuitos curtos de produção e consumo e, por fim, no principal produto diferenciador que será a criação e promoção da aplicação web e mobile “Cá se Fazem” (casefazem.pt). Esta última será um dos resultados do projeto que se propôs a criar uma ferramenta tecnológica para acessibilizar a produção local do Algarve. Aí estarão identificados e mapeados os produtores da região, os seus pontos de venda e produção, além de outros locais e iniciativas relacionados, ficando disponível publicamente para utilização gratuita.

Porque a economia é feita por todos, porque o acesso à alimentação é um direito de todos, porque o apoio aos pequenos produtores impulsiona as economias locais e porque um consumo consciente protege o ambiente e o planeta, a Associação In Loco apela ao seu contributo para apoiar esta iniciativa.

Descubra tudo sobre a campanha e sobre como poderá contribuir em https://www.gofundme.com/f/100-local.

 

Fonte: In Loco

Partilhar: