Em junho, o país importou mais do que exportou. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações tiveram, em comparação com o mês homólogo de 2017, uma variação de +8,6%, enquanto que o das importações foi de +18,1%.

Aquele organismo acrescenta que “o significativo aumento verificado nas importações deveu-se principalmente aos Combustíveis e lubrificantes com origem em países Extra-UE”.

O défice da balança comercial de bens foi de 1.682 milhões de euros, mais 641 milhões de euros que no mês homólogo de 2017. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes “a balança comercial atingiu um saldo negativo de 999 milhões de euros, correspondente a um aumento do défice de 231 milhões de euros em relação a junho de 2017”.

Pelas contas do INE, no 1º semestre do ano, “verificaram-se aumentos de 6,6% nas exportações e 8,8% nas importações, desacelerando de forma significativa face ao mesmo período de 2017 (+12,2% e +14,3%, respetivamente, no 1º semestre de 2017)”.

Partilhar: