O Governo aprovou esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, uma série de medidas de contingência face à possibilidade de até 29 de março não haver acordo quanto à forma como o Reino Unido vai abandonar a União Europeia.

Caso isso aconteça, garantiu o 1º ministro no final  dessa sessão, os britânicos que residem em Portugal continuarão a beneficiar de direitos ao nível da Segurança Social e Saúde, bem como a ver reconhecidas as suas cartas de condução, formação académica e habilitações para o exercício profissional.

António Costa anunciou que nos aeroportos de Faro e do Funchal serão criados corredores para os cidadãos britânicos, “tendo em vista agilizar a sua entrada e evitar situações de bloqueio na forma como acolhemos estes turistas”. Ao mesmo tempo será reforçada a promoção turística de Portugal no Reino Unido, de forma a tentar fazer com que mais cidadãos locais visitem o nosso país.

Para além disso, o Governo avançará com o reforço consular no Reino Unido para assegurar um apoio mais próximo, a este nível, aos cerca de 400 mil portugueses que residem no Reino Unido.

O executivo deliberou, ainda, criar uma linha de apoio de 50 milhões de euros para a “adaptação e diversificação dos canais de exportação” das empresas portuguesas que, atualmente, trabalham essencialmente com o mercado britânico e um ‘Balcão Brexit’ para apoiar as pequenas e médias empresas que exportam para o Reino Unido.

Partilhar: