A Câmara de Portimão estima que mais de 25 mil pessoas tenham passado pela zona ribeirinha da cidade, na primeira noite do 25º Festival da Sardinha, que decorre até ao próximo domingo, o que é classificado como “um máximo histórico”.

Entre essas pessoas esteve o primeiro-ministro, António Costa, que, de férias no Algarve, resolveu passar pelo certame e provar umas sardinhas assadas na brasa, acompanhadas de batata cozida e salada à algarvia, ex-libris gastronómico de Portimão.

Também estiveram presentes a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, o secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, e os deputados João Vasconcelos, Jamila Madeira, Ana Passos e Luís Graça, entre outras figuras.

Momento alto da noite foi a atuação dos Amor Electro no palco principal do certame, tendo os largos milhares de fãs presentes homenageado o baixista da banda, Rui Rechena, falecido horas antes.

Este ano, o Festival da Sardinha transitou para uma área situada junto ao Clube Naval de Portimão, a qual, de acordo com a autarquia, “proporciona melhores condições, quer para o público, quer para os espaços de venda de artesanato, doçaria e outros produtos, assim como para os pontos de venda de sardinha assada e petiscos tradicionais.”

Esta noite atua Bárbara Bandeira, seguindo-se amanhã Marco Rodrigues, no sábado C4 Pedro e no último dia do Festival os Expensive Soul, estando todos os espetáculos agendados para as 22h00, com entrada livre.

Partilhar: