O Bloco de Esquerda quer saber se foi feito algum estudo que sustente o encerramento de quatro balcões da Caixa Geral de Depósitos (CGD) na região algarvia. 

Os deputados eleitos por aquele partido consideram que o fecho previsto de balcões situados nos concelhos de Vila Real de Sto. António (Monte Gordo), Faro (Gambelas), Portimão (Quinta do Amparo) e Lagos (Ameijeira) “reduz a presença do banco público no território nacional e limita às populações o acesso a serviço públicos bancários.”

Aquelas são dependências bancárias que “atendem um considerável número de clientes particulares e acompanham muitas pequenas e médias empresas, não sendo atendível a intenção de encerramento destes balcões e a deixar espaço que poderá ser ocupado por bancos concorrentes.”

Para além disso, lembram que “no decurso do mandato do Governo PSD/CDS-PP encerraram mais de 100 balcões da CGD”, não sendo, portanto, na perspectiva destes deputados, “admissível ao banco público pautar a sua actuação da mesma forma que um banco privado, dado estar sujeito a obrigações acrescidas, sobretudo para com as populações.”

Sendo um banco público, defendem que “a Caixa Geral de Depósitos deve estar presente em todo o território e garantir o acesso a serviços bancários a toda a população, designadamente aquela que de outra forma não pode aceder a estes serviços, seja pelo pouco domínio das tecnologias da informação, seja porque tem dificuldades na deslocação a locais mais distantes.”

Partilhar: