No mês de Outubro a Beta Talk Portimão, numa edição especial, convida mestres cervejeiros algarvios a partilharem os seus percursos empreendedores e como abraçaram a criação de marcas de cervejas artesanais no Algarve, bem como a apresentarem as várias “loiras” algarvias que desfilam com sucesso por vários festivais locais e nacionais de cerveja e prometem continuar a dar que falar.

A Beta Talk é um espaço mensal por onde têm passado empreendedores, a apresentar as suas histórias, sucessos e, também, alguns fracassos.

A edição deste mês, convertida em “Beer Talk”, acontecerá na próxima Segunda-feira, 16 de Outubro, a partir das 19h00, no espaço do restaurante Faina, no Museu de Portimão. Como é habitual na Beta Talk Portimão, a participação é livre mas sujeita a inscrição prévia através de https://tinyurl.com/betatalkportimao-out2017

Um dos convidados é André Gonçalves é co-fundador da cerveja Marafada. Nasceu no Algarve e tem formação em Arquitectura Paisagista. Trabalhar num escritório 8 horas por dia seria impensável para si e sempre se imaginou como um pequeno produtor de algum produto especial, que promovesse o Algarve. Produziu azeite mas nunca colocou no mercado e fez também algumas experiências com agricultura biológica.

Começou a provar cerveja artesanal em 2011 quando estudava em Lisboa mas, nessa altura, nunca imaginava vir a produzir aquele tipo de bebida. Com o passar do tempo o seu gosto por cerveja artesanal foi aumentando até que, em 2013, começou a produzir cerveja para consumo próprio sem pensar ainda na venda. No entanto, no início de 2015, a “Marafada” começou a chegar aos primeiros clientes.

Outro empreendedor do mês é Pedro Alves, co- fundador da cerveja Moça. Veio de Celorico de Basto para o Algarve para estudar Engenharia Mecânica na UALG e acabou por se apaixonar pelo Algarve. Começou por trabalhar na área da climatização e das energias renováveis por conta de outrém e, posteriormente, no seu próprio negócio.

A crise na construção levou-o a procurar alternativas e, a restauração e o turismo de que era apenas apreciador, passaram a ser novas áreas de investimento. Apostou em Faro e no Porto mas rapidamente percebeu que negócios à distância não funcionavam. A paixão pela região levou-o também a uma grande paixão por uma algarvia com quem havia de partilhar a sua nova aposta – a criação do restaurante/ pastelaria / mercearia Vila Adentro.

Aproveitando a localização e potencialidade do espaço na zona histórica de Faro, e entusiasmado com o que o havia visto em Lisboa e na Alemanha decidiu apostar na cerveja artesanal. Colaborar na organização do primeiro “beer fest” de Faro foi o passo seguinte dando a conhecer diversas marcas de cervejas.

A partir daí e, aproveitando os recursos do Portugal 2020, a ligação histórica à cidade e o gosto pelo negócio da cerveja artesanal criaram a Moça- uma cerveja leve, fresca, com ingredientes algarvios e com uma produção modular que lhes permite adaptar à procura.

Tiago Caldeira, o mestre cervejeiro que criou a cerveja Abaladiça é outro dos convidados. Foi em Lisboa, a sua cidade natal, que cresceu, estudou e completou uma licenciatura em Filosofia. Acabado o curso, seguiram-se uns tempos de indecisão em que foi barman, dj, day trader (transacionando títulos nos mercados americanos), antes de começar uma carreira como redator publicitário.

A crise, que levou a que fosse dispensado, e o amor por uma louletana, trouxeram-no para o Algarve. Já no sul de Portugal, ensaiou a entrada no mundo da culinária, interrompida por viagem a Amesterdão que o inspirou a lançar-se na produção de cerveja caseira. Um par de anos e umas quantas experiências depois, decidiu fazer da cerveja profissão. Em 2016 fez um estágio na cervejeira Refsvindinge na Dinamarca e em julho de 2017 lançou a Abaladiça. Agora trabalha para consolidar a sua marca e o gosto dos algarvios pela cerveja artesanal.

Ivânia Lourenço e Sebastião Afonso, são o casal que fez nascer a cerveja Moura. Ivânia é técnica superior de análises clínicas e Sebastião Afonso tem formação e experiência de 27 anos na área da restauração. A ideia de produzir uma cerveja única no mercado surgiu em 2013, com a descoberta de um curso de fabrico de cerveja no Porto, que os levou a procurar saber mais, a se instruírem e a procurar inspiração na cultura local.

Em 2014 surgia a Moura ® “artesanal de alfarroba, cerveja de encantar”, fabricada em Tavira, de onde são naturais. Um nome e ingredientes em tudo relacionados com a esta terra algarvia: um ingrediente típico, trazido pelos mouros e a história da Moura Encantada de Tavira. Depois do sucesso alcançado com esta primeira cerveja criaram uma outra cerveja inovadora, sem nunca abandonarem o amor que os liga aos produtos da região – a Sabra que, na sua génese tem um fruto pouco conhecido, o figo de pita. Actualmente a produção é toda consumida localmente e nalguns pontos do Algarve mas faz parte da dos planos reforçar a sua distribuição não só na região como no resto do País e, quem sabe, tentar a internacionalização.

 

Partilhar: